Empresas constituídas em Portugal sobem 8,4% em 2019 e insolvências recuam 14%

No que diz respeito a insolvências, apenas Viseu se manteve sem alteração face a 2018 (122 insolvências), enquanto a Madeira registou uma queda de 9,6%

16 Jan 2020 / 14:43 H.

A constituição de empresas em Portugal cresceu 8,4% em 2019, para 49.193, face ao ano anterior, enquanto as insolvências diminuíram 14% para 5.071 em termos homólogos, segundo um estudo da Iberinform hoje divulgado.

“A constituição de empresas em 2019 registou um aumento de 8,4% em termos homólogos com um total de 49.193 novas empresas, mais 3.807 que em 2018”, refere o estudo da filial da Crédito y Caución.

Adianta também que “as insolvências tiveram uma redução de 14% em 2019, face ao ano anterior, com um total de 5.071 empresas insolventes, menos 817 que em 2018, o que se traduz numa diminuição de 14%”.

Portugal apresenta, no entanto, um dos níveis de insolvência mais elevados entre os países vizinhos.

Segundo o último Economic Outlook difundido pela Crédito y Caución, Portugal terminou o ano passado com níveis de insolvência de 211 pontos, o que significa multiplicar os níveis pré-crise por dois (sendo que o ano base é 2007).

Para este ano, o relatório da seguradora de crédito prevê “uma estagnação do nível de insolvência”, que fechará nos 207 pontos, realçando que a economia portuguesa manterá níveis de insolvência mais elevados do que os países vizinhos, à frente de Itália (185), Reino Unido (119), França (109), Estados Unidos (85), Alemanha (67) ou Japão (61).

Apenas Espanha (com 541 pontos) supera estes níveis, destaca o estudo.

Por distritos, Lisboa e Porto são os que apresentam os valores mais elevados de insolvências em 2019, com 1.042 e 1.228, pela mesma ordem, mas na comparação com 2018, estes números traduzem uma queda de 33% e de 12,3%.

As descidas mais acentuadas observaram-se nos distritos de Castelo Branco (-40,6%), Vila Real (-35,8%), Évora (-35,5%) e Guarda (-34,3%), sendo que dos 22 distritos, 17 tiveram reduções e quatro apresentaram aumentos: Coimbra (0,6%), Faro (2,6%), Aveiro (4,5%) e Braga (24%).

Apenas Viseu se manteve sem alteração face a 2018 (122 insolvências), enquanto a Madeira registou uma queda de 9,6% e na Região Autónoma dos Açores os valores oscilaram entre reduções de 5,3% (Angra do Heroísmo), 9,5% (Ponta Delgada) e 25% (Horta).

O estudo refere ainda que ao nível da constituição de empresas Lisboa tem o valor mais expressivo, com 16.691 (+5,4%), sendo que os maiores crescimentos ocorreram nos distritos de Horta (33,3%), Castelo Branco (+23,9%) e Bragança (+20%).

O Porto surge com 8.966 constituições e um crescimento de 9,6%, em relação a 2018, sendo que as únicas quedas se observaram em Évora (-3,9%) e Portalegre (-0,7%).

Por setores, os dados divulgados indicam que os maiores aumentos, face a 2018, foram obtidos nos setores dos Transportes (111,8%), Eletricidade, Gás e Água (59,5%) e Indústria Extrativa (33,3%).

Já a Construção e Obras Públicas teve uma subida de 26,7% em 2019, enquanto a Indústria Transformadora registou um acréscimo de 0,4%.

Entre os setores com menos empresas em processo de insolvências em 2019, surge a Indústria Extrativa (-50%) Eletricidade, Gás, Água (-39,1%), Comércio por Grosso (-22,5%), outros Serviços (-21,9%) e Comércio a Retalho (-21,7%).

Os setores da Construção e Obras Públicas e Hotelaria e Restauração, por seu turno, registaram quedas de 15,9% e 18,2%, pela mesma ordem.