Embaixada apela a emigrantes para buscas de português desaparecido na Suíça

20 Set 2019 / 20:05 H.

A embaixada de Portugal em Berna apelou aos portugueses para manifestarem a sua solidariedade “apresentando-se como voluntários para continuar as buscas” por Paulo Oliveira, desaparecido em julho no cantão de Friburgo, informou fonte oficial.

“Entrámos em contacto com a família para tentar perceber de que forma podíamos ajudar. Ao constatar que a situação estava a ser devidamente acompanhada pela Polícia Cantonal de Friburgo, decidimos lançar um apelo como forma de apreço à família e para que as buscas pudessem continuar”, afirmou à Lusa Ester Vargas, adida social da embaixada em Berna.

O apelo foi lançado em 16 de Setembro, através das redes sociais da embaixada portuguesa em Berna, após a entidade diplomática ter contactado os familiares de Paulo Oliveira, propondo-se ajudar no que fosse necessário.

A embaixada informou que o local de encontro para as equipas de buscas voluntárias, aos sábados, é a Patinoire em Paccots, estando previstos dois turnos, com início às 9 horas e às 13h30.

A Polícia Cantonal de Friburgo deu início às buscas após ter sido informada do desaparecimento, pelas 17h30, do português natural de Travanca, na zona montanhosa de Paccots, cantão de Friburgo, na noite de 29 de Julho.

A operação durou cerca de dez dias, envolvendo cerca de 100 pessoas, mobilizadas para as buscas no local do desaparecimento e áreas circundantes.

A embaixada portuguesa em Berna acrescentou, no comunicado, que “os desaparecimentos em zonas montanhosas são, infelizmente, muito frequentes na Suíça”, salientado que “as forças policiais e de segurança têm sido incansáveis com a família do desaparecido, tendo accionado todos os meios” para as buscas.

Segundo declarações da família à Polícia Judiciária, Paulo Oliveira saiu de casa para um treino num percurso pedestre que fazia regularmente na montanha de Paccots, no cantão de Vaud.

O veículo do homem foi encontrado, pelas autoridades, estacionado no parque de estacionamento de Rosalys, perto do local do desaparecimento.

A embaixada de Portugal, no comunicado enviado à Lusa, revelou que, no anterior contacto com a família de Paulo Oliveira, “os familiares manifestaram um grande apreço pela equipa policial de Friburgo que acompanhou o caso”.

As autoridades continuam a acompanhar a família, mesmo após as “buscas oficiais” terem terminado, no fim de Agosto, pondo à disposição os recursos humanos necessários para os acompanhar nas buscas voluntárias que se organizam aos sábados, no Paccots.

Outras Notícias