Trump pede investigação a programas de humor nos Estados Unidos

EUA /
17 Mar 2019 / 16:31 H.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu hoje às autoridades eleitorais que regulam as comunicações para investigarem os responsáveis por programas humorísticos como o ‘Saturday Night Live’.

“É verdadeiramente incrível que programas como ‘Saturday Night Live’, que não têm piada nem talento, possam passar todo o tempo atacando a mesma pessoa (eu próprio), uma e outra vez, sem mencionar sequer o ‘outro lado’”, criticou Trump, através da sua conta na rede social Twitter.

“Devem a Comissão Federal Eleitoral e/ou a FCC [Comissão Federal de Comunicações] olhar para isto? Tem de haver uma conspiração com os democratas e, claro, com a Rússia! Que cobertura tão enviesada, falsas notícias na maioria. Assim é difícil acreditar que ganhei e continuo a ganhar. Taxa de aprovação de 52%, 93% entre os republicanos. Lamento!”, escreve o Presidente, que já criticou por várias vezes o ‘Saturday Night Live’, programa de humor semanal em que, frequentemente, o ator Alec Baldwin aparece a imitá-lo.

A investigação federal de que fala Trump não seria assim tão fácil de desencadear, dado que tanto a Comissão Federal Eleitoral como a Comissão Federal de Comunicações são agências independentes do Governo, com republicanos e democratas.

Ainda assim, uma eventual intervenção da FCC será mais provável, já que a FEC só poderia investigar os programas se tivesse suspeitas de ligações ilegais com interesses eleitorais.

No mesmo dia e na mesma conta de Twitter, Trump saiu em defesa dos apresentadores da Fox News que fizeram comentários racistas, pedindo ao seu canal de televisão favorito que se mantenha “forte” diante do “politicamente correcto”.

A Fox Nes suspendeu a emissão do programa de Jeanine Pirro, pelos seus comentários islamófobos. “Tragam de volta Jeanine Pirro. Os democratas radicais de esquerda, em conjunto com o seu parceiro, os meios de falsas notícias, usam todos os truques para silenciarem uma maioria no nosso país”, criticou Trump.