Protestos em Palo Verde, na Venezuela, por estar há 12 dias sem electricidade e água

18 Mar 2019 / 15:50 H.

Dezenas de habitantes da urbanização Palo Verde, na zona leste de Caracas, bloquearam hoje os acessos àquela localidade em protesto pela falta de energia eléctrica, há 12 dias, e também de água.

“Há 12 dias sem luz, o que se passa Corpoelec (Corporação Elétrica Nacional da Venezuela)” lia-se num grande cartaz.

Segundo explicaram aos jornalistas, a falta de energia eléctrica afecta pelo menos 200 famílias daquela localidade desde 7 de março, dia em que uma falha na central hidroelétrica de El Guri deixou quase toda a Venezuela durante vários dias sem electricidade.

Alguns manifestantes queixaram-se ainda de que estavam também sem serviço de gás.

Entretanto, através do Twitter, vários utentes denunciaram que parte do leste de Caracas esteve hoje de novo às escuras, incluindo as localidades de El Rosal, Chacao, Chacaíto, Altamira, Santa Paula, Las Mercedes, El Cafetal, Campo Alegre, Los Naranjos e La Urbina.

Em Santa Fé (sudeste) depois de sete dias contínuos de ausência, a energia eléctrica estava “estável” durante o fim-de-semana, disseram vários portugueses à Agência Lusa.

Por outro lado, a sul da capital, a população de Santa Mónica está há mais de 10 horas sem electricidade.

No Estado de Miranda, a leste da capital, explodiram hoje os transformadores de uma subestação eléctrica em el Cloris, deixando às escuras as cidades de Guarenas e Guatire.

Por outro lado, em Carrizal, a sul de Caracas, dezenas de pessoas protestaram hoje por estarem há mais de dois meses sem água.

“Carrizal sem água” lia-se nos cartazes enquanto a população gritava “queremos água”.

Os manifestantes estão concentrados junto da sede da câmara municipal local à espera de respostas da empresa estatal de água, Hidrocapital.