Polícia dispara balas de borracha sobre manifestantes em Hong Kong

22 Set 2019 / 17:42 H.

A polícia disparou hoje balas de borracha em confrontos com manifestantes pró-democracia, em Hong Kong, perto de um centro comercial no qual causaram distúrbios.

Pelo décimo sexto fim de semana de mobilização, milhares de manifestantes reuniram-se hoje pacificamente num centro comercial localizado em Shatin, no norte da antiga colónia britânica, onde entoaram cânticos e fizeram origami.

“Apesar de estarmos muito cansados, não podemos abrir mão dos nossos direitos”, explicou Ching, professora, à Agência France-Presse.

“Se o movimento durar 100 dias, 200 dias ou mesmo 1.000 dias e não conseguirmos o que queremos, continuaremos a sair às ruas”, frisou.

A situação começou a agravar-se ao final da tarde, em Hong Kong, quando militantes com máscaras pertencentes a grupos radicais ergueram uma bandeira chinesa arrancada de um edifício governamental, antes de a atirarem num rio.

Os ativistas vandalizaram depois máquinas de bilhetes na estação de metro de Shatin, tendo a polícia de choque encerrado o acesso.

À noite, eclodiram confrontos no exterior do centro comercial, entre algumas dezenas de manifestantes e agentes da polícia, que recorreram a balas de borracha e gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes.

A polícia, que fez várias detenções, também foi chamada depois de a viatura de Patrick Nip, membro do governo de Hong Kong, ter sido cercada por uma multidão enfurecida, noticiaram os media locais South China Morning Post e RTHK.

Outras Notícias