Parlamento espanhol inicia sessão inaugural em Madrid

Madrid /
21 Mai 2019 / 10:35 H.

As duas câmaras do parlamento espanhol que saíram das eleições de 28 de abril iniciaram hoje em Madrid as suas sessões inaugurais, marcadas pela presença de deputados catalães presos provisoriamente e pela chegada de membros da extrema-direita.

O Tribunal Supremo autorizou cinco membros eleitos em listas independentistas da Catalunha, que estão presos provisoriamente enquanto são julgados pelo seu envolvimento na tentativa de autodeterminação daquela região espanhola, a estarem presentes nas sessões constituintes do Congresso dos Deputados (câmara baixa) e do Senado (câmara alta) das Cortes Gerais (Parlamento).

Oriol Junqueras, Jordi Sánchez, Josep Rull e Jordi Turull, chegaram ao Congresso, e Raul Romeva, ao Senado escoltados pela polícia, que se retirou assim que chegaram às duas assembleias, tendo os deputados e o senador podido circular livremente e falar com outros membros das cortes.

No final das respetivas sessões, os cinco detidos deverão regressar à prisão de Soto del Real, nos arredores de Madrid, devendo as cortes aprovar a sua suspensão dos trabalhos parlamentares enquanto durar o julgamento em curso sobre o processo de autodeterminação.

Os 24 deputados do partido de extrema-direita Vox, que emergiu em força nas eleições de 28 de abril, foram os primeiros a chegar ao Congresso dos Deputados e protagonizaram o primeiro caso do dia ao decidirem sentar-se na segunda fila do hemiciclo, atrás das cadeiras reservadas ao Governo espanhol, em lugares que estavam vazios, visto não estarem ainda distribuídos.

Nas eleições gerais de abril, o PSOE (socialista) elegeu 123 deputados (28,68% dos votos), o PP (Partido Popular, direita) 66 (16,70% dos votos), o Cidadãos (direita liberal) 57 (15,86%), o Unidas Podemos (extrema-esquerda) 42 (14,31%), o Vox 24 (10,26%), tendo os restantes sido eleitos em listas de âmbito regional, o que inclui partidos nacionalistas e independentistas.

As eleições foram marcadas pelo aumento da votação dos socialistas, mas também pela forte diminuição do apoio ao PP, que baixou para cerca de metade, com o voto da direita a ser dividido com o Cidadãos e o Vox.

As duas câmaras das Cortes Gerais deverão ainda esta manhã eleger a deputada Meritxell Batet (PSOE, socialista) como presidente do Congresso dos Deputados e o senador Manuel Cruz (PSOE) como presidente do Senado.

Batet e Cruz são membros do PSC (Partido Socialista da Catalunha), o que é visto como um gesto no sentido do diálogo entre o Estado central e os partidos separatistas que continuam a lutar pela independência da região.

Uma brasileira, Maria Carvalho Dantas, tomou posse do seu lugar de deputada, depois de ter sido eleita nas listas da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), um partido de ideologia social-democrata e independentista daquela região espanhola.

Outras Notícias