Mais de 40 soldados e alegados terroristas morreram na fronteira do Mali e Níger

Mali /
19 Nov 2019 / 10:56 H.

Mais de 40 soldados e alegados terroristas morreram na segunda-feira na fronteira entre o Mali e o Níger, durante o confronto entre os exércitos dos dois países e um grupo de ‘jihadistas’ que perseguiam, noticiam as agências internacionais.

As Forças Armadas Malianas (FAMA), que no dia do confronto tinham declarado a morte de sete soldados, explicitaram hoje, num comunicado, que perderam 24 soldados para além dos 29 que ficaram feridos.

Por sua vez, não se sabe se houve mortos entre os militares do Níger.

Do lado dos alegados ‘jihadistas’, cuja filiação se desconhece, uma centena foi detida e conduzida pelos militares do Níger até à localidade de Tiloa e 17 morreram durante o confronto.

Os exércitos do Níger e do Mali, tal como o de Burkina Faso, colaboram entre si no combate contra os ‘jihadistas’ e outros grupos armados que tradicionalmente se aproveitam das frágeis fronteiras para atacar um país e se refugiar noutro.

Neste sentido, a FAMA e as Forças de Defesa e Segurança do Níger montaram, na segunda-feira, uma operação conjunta transfronteiriça, a que chamaram “Tongo tongo”, na qual patrulharam pela aldeia de Tabankort, um território maliano, quando foram surpreendidos por fogo hostil, o que explicaria o número mais alto de baixas entre as forças militares.

A colaboração inclui o contingente francês de Barkhane, colocado desde de 2014 em países sahelianos, que conta com 4 500 soldados franceses que se movem livremente entre os Estados à procura de alegados terroristas.

Outras Notícias