Explosão no nordeste de Espanha faz acionar alerta de emergência química

14 Jan 2020 / 19:36 H.

Uma forte explosão originou um incêndio de grandes dimensões na zona industrial da petroquímica de Tarragona, para onde foram deslocados os bombeiros da Generalitat da Catalunha e equipas de emergência e fez acionar o alerta de emergência química.

A explosão ocorreu às 18:40 locais (17:40 em Lisboa) numa fábrica da empresa Industrias Químicas del Óxido de Etileno (IQOXE), antiga IQA, por motivos que estão a ser investigados. De acordo com a agência noticiosa Efe, foram até ao momento registados quatro feridos.

Como medida preventiva, a Proteção civil pediu de início às populações de Tarragona, Salou, Vila-seca, Reus, Constantí, El Morell e La Canonja que permanecessem em casa com as janelas fechadas, mas às 19:30 locais restringiu a medida a La Canonja e Vila-seca, pelo facto de as restantes localidades terem apenas sido afetadas por fumos provocados pelo incêndio.

A explosão, percetível em todas as povoações dos arredores do complexo petroquímico e que fez estremecer as janelas de alguns edifícios, originou um grande incêndio, com uma coluna de fumo visível a vários quilómetros de distância.

Na sequência do acidente, a Direção Geral de Proteção civil ativou a fase de alerta do plano de emergências químicas Plaseqcat e o Sistema de emergência médicas (SEM) pôs em marcha o seu protocolo de acidentes com múltiplas vítimas e mobilizou unidades especializadas.

Na sequência do incêndio, que mobilizou equipas dos Bombeiros da Generalitat, foi restringida a circulação rodoviária na estrada N-340, que atravessa o polígono sul da petroquímica de Tarragona. Esta cidade está situada a 115 quilómetros de Barcelona, capital da região da Catalunha.

A Renfe também interrompeu a circulação de comboios nas vias entre Tarragona e Reus e de Tarragona a PortAventura, e que afetou as linhas R13, R14, R15, R16 y R17, e ainda a RT1 e a RT2.

A empresa onde se registou a explosão é a única indústria em Espanha que processa óxido de etileno, com capacidade para produzir um total de 140.000 toneladas por ano, uma substância utilizada para o fabrico de polímeros.