Cruz Vermelha denuncia falta de fundos para ajudar população da Venezuela

02 Dez 2019 / 17:10 H.

O presidente da Federação Internacional da Cruz Vermelha denunciou hoje a falta de fundos para ajudar a população da Venezuela, lamentando que a ajuda seja usada como um “instrumento político” para desestabilizar o país.

Segundo Francesco Rocca, o pedido de 45,5 milhões de euros lançado para o país em setembro, foi financiado, até ao momento, em apenas 10%.

“Não é uma questão de recursos, mas de vontade política”, salientou o presidente da Federação Internacional da Cruz Vermelha.

Como resultado, muitos venezuelanos “estão com fome e a morrer” devido à falta de medicamentos vitais, explicou Francesco Rocca que considerou “inaceitável” esta situação.

“Alguém quer usar a população civil e o seu desespero como um instrumento para desestabilizar o país”, sublinhou Rocca, sem especificar a quem esta acusação foi dirigida.

“O paradoxo é que, para nós, é mais fácil angariar fundos para a Síria e até mesmo para o Iémen”, dois países em guerra, acrescentou.

A Venezuela vive uma crise social e política, com reflexos humanitários.

Em janeiro, Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional - onde a oposição é maioritária -, autoproclamou-se Presidente interino, questionando e desafiando a legitimidade de Nicolás Maduro.

Outras Notícias