Sindicato dos Professores contra avaliação que beneficia docentes dispensados de componente lectiva

15 Abr 2019 / 20:20 H.

O Sindicato dos Professores da Madeira enviou uma ‘carta aberta’ ao secretário regional da Educação em que assume uma posição por uma “avaliação que não beneficie os docentes com dispensa da componente lectiva em relação aos que encontram em exercício efectivo de funções docentes”,

Em causa está um modelo de avaliação, apresentado pela SRE que dispensa da avaliação de aulas ou actividades educativas os docentes que pretendam a classificação de ‘excelente’ e se encontrem em funções fora as duas escolas, no que o governo regional classifica como “funções de interesse público” em que se incluem cargos políticos, cargos em gabinetes de apoio a cargos políticos, em associações ou estruturas sindicais. Neste último caso, apenas ao dirigente máximo do sindicato.

O SPM defende uma avaliação idêntica para todos os docentes e considera que aqueles que desempenham outras funções não podem ser “prejudicados ou beneficiados”. No caso concreto dos dirigentes sindicais, nenhum elemento do SPM aceitará os “efeitos de qualquer menção qualitativa de avaliação de desempenho que não tenha sido atribuída com base nos mesmos critérios de avaliação dos colega que se encontram a leccionar nas escolas”.

Outras Notícias