Raquel Coelho diz houve “lapso” na referência dos advogados

15 Mar 2019 / 15:30 H.

Através de um comunicado dirigido esta tarde à imprensa, a deputada do PTP, Raquel Coelho, veio esclarecer que “de facto não foi o advogado de Martinho Gouveia, a pedir o levantamento da imunidade parlamentar do sr. deputado Rui Abreu do PSD, mas sim o advogado do Sr. António Candelária, no processo em que é arguido o ex-deputado José Manuel Coelho”.

“Uma vez que o julgamento é composto por várias assistentes, houve um lapso na referência dos advogados dos mesmos”, vincou Raquel Coelho.

Na mesma nota, a deputada trabalhista não retira as criticas que fez sobre o julgamento político que está a ser alvo o deputado José Manuel Coelho, mas afirmar crer “ser importante corrigir que quem proferiu tais palavras não foi o advogado Pedro Reis Pereira”.

Recorde-se que, numa das sessões plenárias da Assembleia Legislativa desta semana, Raquel Coelho denunciou uma situação que considera uma promiscuidade grave, entre o parlamento e os tribunais no processo em que é arguido o seu pai.

Face ao que considerou serem “gravíssimas declarações, porque faltam à verdade”, Pedro Reis Pereira tinha prometido avançar com uma queixa-crime. Afirmações essas que Raquel Coelho vem agora rectificar.

Outras Notícias