PS defende investimento nos cuidados continuados e em lares de idosos para resolver altas problemáticas

11 Jan 2019 / 12:52 H.

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista-Madeira promoveu, esta manhã, uma conferência de imprensa para abordar a questão das altas problemáticas na Região, uma situação que considera muito preocupante e que precisa de “respostas urgentes” e adequadas.

Na ocasião, a deputada Sofia Canha lembrou que, atualmente, na Madeira há cerca de 600 casos de altas problemáticas, que correspondem a um custo anual de 40 milhões de euros do Orçamento Regional para a Saúde, segundo dados oficiais do Governo. Tal como adiantou a parlamentar socialista, cada cama hospitalar tem um custo diário de 211 euros, enquanto que o custo de uma cama num lar é de cerca de 60 euros diários. No seu entender, “as poupanças obtidas na Saúde ao transferir os casos de altas problemáticas para a Segurança Social permitiriam dar respostas mais eficazes aos idosos e às suas famílias e haver poupanças no Orçamento Regional”.

“O PS-Madeira insiste na necessidade de investimento, por um lado, nos cuidados continuados e em estruturas adequadas, articulando a área da Saúde e dos Assuntos Sociais em permanência, insiste no investimento em estruturas residenciais concelhias para idosos dimensionadas à resposta local e propõe dar condições financeiras aos cuidadores não formais para acompanhamento no domicílio aos seus familiares”, adiantou Sofia Canha.

Segundo frisou, “esta resposta deve ser pensada articuladamente entre a Saúde e os Assuntos Sociais e não adiar para que daqui a 10 anos se volte a pensar com preocupação nestas situações”. De acordo com a deputada, é o momento de agir, sendo preciso dar passos significativos e insistentes nesta matéria.

Sofia Canha referiu também que o PSD tem acusado o PS de insistir no tema da saúde, mas deixou claro que “não é porque este tema incomoda o PSD que vamos deixar de falar nos problemas que mais afectam os madeirenses e os porto-santenses”. “Enquanto as pessoas não tiverem a resposta por parte do Governo, o PS vai continuar a trazer para o debate público as questões da saúde e tudo aquilo que é preciso resolver, mesmo que seja incómodo para o PSD e para o Governo”, rematou.

Outras Notícias