Pilar del Rio descreve perfil do cardeal madeirense Tolentino Mendonça em jornal espanhol

05 Jan 2020 / 20:44 H.

A viúva de José Saramago, Pilar del Rio, escreveu um perfil do madeirense Tolentino Mendonça, publicado ontem (4 de Janeiro) na página ‘eldiário’, em Espanha, onde nomeia o cardeal como o ‘guardião dos segredos’ do Vaticano.

“Este perfil deveria ser escrito por Umberto Eco, o autor de ‘O nome da rosa’ faria filigranas com a biografia de José Tolentino Mendonça, arcebispo de Suava e director do arquivo secreto do Vaticano por obra e graça do Papa Francisco, que o elevou a tal glória em 2018, após os exercícios espirituais que orientou na Quaresma do mesmo ano. Tolentino Mendonça é teólogo, professor, ensaísta, foi vice-reitor da Universidade Católica de Lisboa, é cronista no semanário português ‘Expresso’ e poeta com obra distinguida e traduzida”, começa por referir Pilar del Rio na referida publicação.

“Pelo seu percurso enquanto pessoa e escritor não o imaginamos a envenenar pastas de arquivo para que ninguém mais tenha acesso a determinados segredos do Vaticano, pelo contrário, é fácil intuir-lhe tremores por não poder partilhar com os seus contemporâneos determinadas páginas que clarificariam a sempre densa narrativa da história. Que conversas terá com o Papa Francisco? O que terá visto o Papa no teólogo português para depositar o peso do conhecimento nas suas mãos? Ler diversas línguas que alguns chamam de mortas e outros de imortais não deverá ser o único motivo. Ser poeta, talvez”, escreveu ainda a viúva de José Saramago, para depois assumir que a nomeação de Tolentino indica que “em Roma se estão a passar coisas”.

“Lê filosofia, teologia e crítica literária, define a sua dedicação actual como trabalho e paixão, sente tristeza pela Europa de hoje e tem como perfume de eleição aquele que soltam os lírios do campo, o seu lema na consagração episcopal: ‘Olhai os lírios do campo’. Não esperava ocupar funções tão altas dentro da igreja católica, não fez campanha eleitoral, não se candidatou ao cargo. Estava na universidade quando recebeu o telefonema. Defende o amar por amar e o Evangelho da Misericórdia. Esta nomeação indica que em Roma se estão a passar coisas”, referiu ainda a espanhola.