PDR repudia falta de acordo relativo ao subsistema de saúde dos polícias

14 Mai 2019 / 17:05 H.

Através de um comunicado hoje dirigido à imprensa, o Partido Democrático Republicano (PDR) veio a público repudiar “a falta de entendimento entre o Governo Regional e o Governo da República, que resulta no corte da comparticipação de medicamentos aos agentes da PSP - Madeira, e no fim do acordo entre o Serviço de Assistência na Doença (SAD) e a Associação Nacional de Farmácias (ANF)”.

Filipe Rebelo recorda que a Polícia de Segurança Pública, na Região, beneficiava até então, e através deste acordo, de um apoio concedido aos agentes da PSP, para a compra de medicamentos, através do subsistema de saúde destes profissionais, Serviço de Assistência na Doença (SAD).

O fim deste acordo ocorreu a 20 de Abril do corrente ano e foi comunicado pela própria Associação Nacional das Farmácias, apenas com três dias de antecedência sem que até agora houvesse qualquer esclarecimento do Governo Regional acerca da responsabilidade financeira das comparticipações dos medicamentos destes beneficiários.

“O fim do acordo entre o este subsistema de Saúde (SAD/PSP), e a Associação Nacional de Farmácias (ANF), prejudica os agentes da PSP- Madeira, que descontam tanto como os colegas do Continente, que têm uma grande e vasta assistência de Médicos e Hospitais e Clínicas, situação esta que na Região Autónoma da Madeira não existe pois há falta de médicos e protocolos com clínicas e hospital”, realça o dirigente do PDR-M.

Na sua opinião “a doença não espera por acordos e os nossos polícias têm de se sentir protegidos na doença”.

Outras Notícias