Olavo Câmara participou no congresso da JS-Açores e falou dos desafios que se colocam aos jovens

14 Dez 2019 / 17:55 H.

O presidente da Juventude Socialista (JS) da Madeira participou, hoje, no XIV congresso da JS-Açores, que decorre até amanhã na cidade de Ponta Delgada.

Olavo Câmara foi convidado a discursar na reunião magna dos jovens socialistas açorianos e, aos mesmos, deu conta dos principais desafios que se colocam à juventude, concretamente a Educação, o Emprego, a Mobilidade, a Habitação, a Coesão Territorial e a Participação.

O líder da JS-Madeira afirmou que há que exigir sempre uma Educação de qualidade e gratuita, para que todos os jovens açorianos, madeirenses e do território continental tenham as mesmas oportunidades e possam construir o futuro e o caminho que querem. Olavo Câmara lembrou que nos Açores e em Portugal Continental os manuais escolares são gratuitos, mas que tal não acontece na Madeira, devido a uma “escolha política do Governo Regional e da direita». «Queremos oportunidades iguais para todos e uma educação gratuita e de qualidade é dar esses mesmos direitos iguais para todos”, referiu.

Por outro lado, o responsável considerou que o Emprego terá de ser sempre uma prioridade, e lamentou que a Madeira e os Açores sofram com elevadas taxas de desemprego jovem. “Há que ter medidas, ideias e soluções para que os jovens não tenham de emigrar, ou, se o fizerem, que seja por opção e não por necessidade”, afirmou.

Outros dos desafios, e que representa um dos grandes problemas dos jovens, é a Habitação, defendendo Olavo Câmara que é necessário arranjar soluções para o acesso condigno à habitação.

A mobilidade é outro dos temas comuns às duas regiões autónomas, tendo o líder da JS-Madeira defendido que “temos de ter sempre uma mobilidade aérea que satisfaça todos os madeirenses e todos os açorianos”. Além disso, sustentou que “temos de exigir sempre uma mobilidade marítima que interligue todas as ilhas, que interligue as nossas regiões e que interligue as nossas regiões a Portugal continental”. No que toca aos transportes terrestres, defendeu passes sociais a valores que possam ser pagos por todos. Dirigindo-se ao líder da JS-Açores, Olavo Câmara adiantou que deverá ser uma bandeira fazer com que o passe baixe naquela região, da mesma forma que o próprio vai tentar que seja criado o passe combinado na Madeira.

A outro nível, Olavo Câmara sublinhou que a coesão territorial é essencial, porque “nós temos de ter as mesmas oportunidades, independentemente do local onde nascemos e onde escolhemos viver”. Trata-se, segundo afirmou, de “um tema que tem de ser trabalhado e que nós não podemos deixar para trás”.

Por fim, destacou a importância da Participação, sendo que há que mobilizar os jovens para a participação política e cívica, destacando causas fulcrais como a luta contra as alterações climáticas.

O também deputado do PS-M à Assembleia da República considerou ainda que a Autonomia terá de ser sempre defendida, aprofundada e melhorada e que os jovens socialistas terão de dar sempre o seu contributo. A este respeito, deixou um desafio à JS-Açores para, conjuntamente com a JS-Madeira, organizarem o Fórum das Autonomias das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores. Deixou ainda a proposta da criação de um órgão que junte todos os jovens socialistas das Regiões Ultraperiféricas, dado que têm os mesmos problemas e as mesmas especificidades.