Madeira Tecnopolo em falência técnica

Foram ‘perdoadas’ dívidas a entidades como Liberal e Universidade da Madeira

11 Jan 2019 / 14:15 H.

A conclusão é do Tribunal de Contas (TdC). O Madeira Tecnopolo (MT) está em falência técnica e não consegue satisfazer os seus compromissos. Essa é a grande conclusão que consta da análise às contas daquela entidade, acabada de divulgar e que incidiu no período 2013-2016.

“O MT, S.A. encontra-se numa situação de falência técnica, apresentando entre 2013 e 2016, um capital próprio negativo superior a 12,7 milhões de euros, que se traduz na incapacidade de satisfizer os seus compromissos financeiros de curto, médio e longo prazo, de suportar os custos de exploração, e numa necessidade contínua de financiamento externo.”

O TdC, no resumo das principais conclusões, acrescenta que ”o sistema de controlo interno implementado não só não preveniu o avolumar das dívidas de clientes como revelou uma fraca eficácia na recuperação dos montantes em dívida que, em 31/12/2016, ascendiam a 1,1 milhões de euros dos quais 91,6% se encontravam em mora.” Uma realidade que já foi alvo de várias notícias pelo DIÁRIO.

“O MT não diligenciou atempadamente pela cobrança coerciva das importâncias emergentes de dois acordos de pagamento, celebrados no final do primeiro quadrimestre de 2015, que nunca foram cumpridos, pelos clientes Expedita e Gestools, no montante total de 72 315,83€. Em 2016, o MT, S.A. assumiu a incobrabilidade de dívidas não prescritas dos clientes Liberal e Universidade da Madeira, no montante de 15 584,77€ e 16 277,60€, respectivamente, que conduziu a não arrecadação daquela receita.”

Entretanto, durante o ano passado, a Gestools liquidou totalmente a dívida e, neste momento, a Expedita tem em execução um acordo de pagamentos, que está a ser cumprido, que além da dívida base, inclui os juros.

“No final de 2016, o valor da dívida a Fornecedores atingiu o montante global de 1,2 milhões de euros (mais 8,9% em relação a 2015), 83% dos quais (979,7 mil euros) respeitantes a fornecimentos de energia eléctrica e água. A esse montante acresce uma dívida não reconhecida à Câmara Municipal do Funchal no montante global de 39 003,29€, relativa ao fornecimento de água e tratamento de resíduos do período compreendido entre janeiro e dezembro de 2008.”

Outras Notícias