Henrique Afonso descobriu que o seu avô é pai de 11 filhos no Curaçau

21 Mar 2019 / 01:00 H.

Henrique Afonso chegou na terça-feira ao Curaçau para encontrar familiares que nunca conheceu. Aquilo que parecia uma tarefa árdua, afinal tornou-se numa ‘caixinha’ de surpresas agradáveis e emocionantes. O madeirense, que está a dar a volta ao Mundo no veleiro ‘Sofia do Mar’, tendo partido no dia 15 de Janeiro do Cais 8 do Porto do Funchal, tinha intenções de rumar à Jamaica, mas uma revelação de última hora, por parte de uma tia, fê-lo mudar a rota e seguir rumo ao Curaçau, já depois de ter passado por Barbados, Santa Lúcia e Martinica (Caraíbas).

Ora, toda a história começa no avô de Henrique Afonso, de seu nome Manuel Afonso Júnior. Emigrou para o Curaçau, durante a II Guerra Mundial, muito novo, tendo deixado na Madeira a mulher e os filhos. Regressou em 1963 à Região, já muito doente, onde viria a falecer. Anos mais tarde “umas tias” de Henrique Afonso souberam que tinham pelo menos “mais três irmãos e duas irmãs” em Curaçau, mas as informações eram escassas.

Ao saber da história, Henrique Afonso decidiu então zarpar rumo ao Curaçau, no dia 15 de Março (sexta-feira), tendo chegado quatro dias depois (19 de Março). Ambientou-se à ilha, mas tinha desde o primeiro instante a intenção de encontrar os seus familiares ‘perdidos’, ou pelo menos constatar a veracidade dos factos transmitidos pela tia madeirense.

Depois de algum ‘trabalho de campo’, o velejador passou ontem pelo restaurante ‘Mi Lucha Sta. Maria’ onde encontrou descendentes madeirenses de Câmara de Lobos, São Vicente, Ponta do Sol e Ribeira Brava. Posteriormente, com o passaporte e o nome do seu avô, foi pedindo por informações e chegou até um ex-colega do avô, que por sua vez o conduziu até à tia Azucena, que constatou os factos e deixou Henrique Afonso “emocionado”.

“Encontrei os meus familiares e não são cinco como eu pensava. São 11! Estive hoje com a minha tia Azucena, irmã do meu pai”, contou Henrique Afonso ao DIÁRIO, esclarecendo que o avô teve duas mulheres no Curaçau. De uma nutriu 10 filhos e de outra mais um. “O ‘pirata’ descobriu o tesouro!”, regozijou-se o madeirense, adiantando ainda que dos 11 familiares apenas um faleceu até ao momento.

Seguir-se-á um convívio entre todos os familiares, no sábado, no restaurante ‘Mi Lucha. Sta. Maria’.

Outras Notícias