Europa tem contribuído mais para a Madeira do que o Governo Nacional, diz Albuquerque

09 Mai 2019 / 15:49 H.

O presidente do Governo Regional sublinhou hoje a necessidade de se manter o projecto de paz e prosperidade da Europa, o mais importante dos últimos séculos, que conta já com 70 anos. Segundo Miguel Albuquerque, é “fundamental” assegurar a continuidade deste projecto, sobretudo “junto das novas gerações que não conheceram o flagelo do passado”, do século XX, mas devem ter a noção de que trouxe “paz e prosperidade e a salvaguarda dos direitos humanos, da democracia, do pluralismo e da qualidade de vida”.

Durante as comemorações do Dia da Europa, na Escola Jaime Moniz, no Funchal, o líder do executivo madeirense voltou a reforçar a ideia de que a Europa tem contribuído mais para o desenvolvimento regional do que o Estado Português. “Basta ver os fundos de coesão e o que tem sido a solidariedade europeia, em detrimento do que tem sido negado aos madeirenses pelo estado português, sobretudo pelo actual governo, para perceber que a Europa é muito mais importante como projecto de desenvolvimento para a Madeira do que aquilo que se pode esperar dos sucessivos governos da República”.

Sobre o novo quadro comunitário de apoio à Região, mantém as “melhores expectativas” esperando “fundos importantes para assegurar o desenvolvimento madeirense. Frisou “determinadas questões que estão a ser tratadas”, como a mobilidade ou a renovação da frota pesqueira que está em vias de ser resolvida, e um conjunto de áreas (mobilidade digital, energia e programa Erasmus) que serão reforçadas.

Albuquerque destacou ainda o facto de a região contribuir para a União Europeia, uma vez que “está na vanguarda na Economia Azul, com empresas de investigação, aquacultura e um conjunto de projectos no âmbito do mar, par além de ter o 3.º registo nacional de navios.