Escola Secundária Jaime Moniz terá ‘Sala do Futuro’ graças ao Grupo Sousa

22 Mar 2019 / 13:07 H.

Chamar-se-á ‘Luís Miguel Sousa Classroom’ a ‘Sala do Futuro’ que irá começar a ser construída já este ano lectivo na Escola Secundária Jaime Moniz. Esta sala de ambientes inovadores, que passará a ser a segunda existente no Ensino Público regional, surge graças a um donativo do Grupo Sousa para com a instituição, tranche monetária que hoje foi transposta para o papel com a assinatura de um protocolo na sala de conferências do antigo Liceu.

A presidente do conselho executivo da escola, Ana Isabel Freitas, foi a primeira a subir ao palanque e começou por referir que a Escola Secundária Jaime Moniz contribui “há mais de um século” para a “educação e formação de jovens” e essa continua a ser “a principal tarefa” desta escola secundária: “Preparar os alunos para responderem aos desafios do futuro num Mundo em acelerada mutação”, introdução que serviu para descrever a importância do apoio do Grupo Sousa.

“É uma honra para a Escola Secundária Jaime Moniz assinar hoje um protocolo com o Grupo Sousa. Ao longo deste ano lectivo daremos início à construção da sala de ambientes inovadores de aprendizagem na nossa escola, a ‘Luís Miguel Sousa Classroom’. A nossa escola reconhece e agradece o vosso prestimoso contributo, mas mais do que isso, a nossa escola fica-vos obrigada, vinculada e comprometida a continuar o diálogo convosco e a preparar os jovens para responderem aos desafios do futuro”, congratulou-se Ana Isabel Freitas.

‘Sala do Futuro’ é oferecida por ex-aluno

Já Luís Miguel Sousa, CEO do Grupo Sousa, relevou a “iniciativa, empenho, dedicação e procura” do conselho directivo e “de um conjunto de professores que tornaram, no fundo, este protocolo e apoio possíveis”, em torno de uma sala que oferece ferramentas de aprendizagem inovadoras. De acordo com o empresário madeirense, este apoio terá “um impacto na formação dos estudantes” e torna-se importante “para os desafios que vamos ter no futuro”.

“Vamos ter grandes desafios no futuro. Vivemos num Mundo com forte disrupção, temos inteligência artificial, temos a Internet... e por isso não sabemos que tipo de comunidade ou sociedade vamos ter. Sabemos que será necessariamente diferente exactamente por todas estas tecnologias que vão ‘entrar’ nas nossas vidas. Não vamos saber quais são os impactos que vamos ter na comunidade, mas vamos saber que os empregos no futuro serão necessariamente diferentes, as carreiras profissionais serão necessariamente diferentes, e por isso temos também de tentar encontrar as soluções para que os alunos, que estão neste momento em formação, tenham acesso a mecanismos que os permitam enfrentar os desafios do futuro”, afirmou Luís Miguel Sousa, demonstrando assim as razões pelas quais o Grupo Sousa “colabora com esta iniciativa no âmbito da sua responsabilidade social”.

“Nós temos a educação como um dos vectores de eleição, porque percebemos que a garantia aos acessos de oportunidade a todos deve ser uma das metas que nos propomos a encontrar”, acrescentou ainda o líder do Grupo Sousa, sem esquecer que passou por aquela instituição de ensino. “É com orgulho que hoje colaboro nesta iniciativa, embora o grande desafio vá colocar-se aos professores, que vão utilizar esta ‘Sala do Futuro’, mas também aos alunos que têm de perceber o impacto que isto pode ter nas suas vidas. O impacto que lhes vai permitir enfrentar uma comunidade necessariamente diferente por força dos avanços tecnológicos”, concluiu.