Centenas esperam pelo Cortejo Trapalhão

05 Mar 2019 / 16:18 H.

Centenas, quiçá alguns milhares de madeirenses, muitos turistas também, aglomeram-se esta tarde, na baixa funchalense, para assistir ao Cortejo Trapalhão (como atesta a fotografia captada à hora que o cortejo devia ter iniciado - 16 horas), mas em virtude do mau tempo, que obrigou ao cancelamento do evento, este roteiro vespertino teve de ser alterado originando muitas palavras de desagrado. A verdade é que na baixa citadina o tempo é de sol e a temperatura é agradável, o que ainda fez aumentar o descontentamento.

“O madeirense sempre saiu [no Carnaval], faça chuva ou faça sol, caia neve ou granizo, e nós estávamos preparados para desfilar”. A declaração de protesto pertence a Hugo Castro Andrade, presidente da Associação OLHO-te. A instituição tinha tudo preparado para levar uma trupe ao tradicional cortejo trapalhão desta tarde, que entretanto foi cancelado atendendo às previsões que apontam para a grande instabilidade do tempo, com possibilidade de aguaceiros, mas, sobretudo, com ocorrência de vento forte.

O dirigente da instituição com sede na Bairro da Nazaré lamenta que o “anúncio” tivesse sido em “cima da hora” do evento, lembrando que os arranjos dos 42 foliões “deram imenso trabalho a fazer, muitas horas de dedicação” pelo que entendeu que, mesmo com o aviso de cancelamento emitido pela Secretaria Regional do Turismo e Cultura, a decisão dos figurantes foi descer à baixa funchalense até pelo facto de levarem nos diversos adereços (cartazes e vestimentas) uma mensagem de alerta para as alterações climáticas.

“Se dependermos dessas alterações vamos ficar eternamente dentro de casa”, frisou em jeito de crítica, garantindo que não vão poder desfilar no sábado, dia escolhido pela tutela para a concretização do cortejo, justamente por ter uma agenda preenchida: “Infelizmente não vamos, não será por qualquer tipo de represália ao cortejo, é só pelo facto de termos muitos trabalhos a desenvolver, neste caso será duas peças de teatro que vão subir a palco nesse dia, por isso viemos hoje desfilar”, explicou os motivos.