CDU valoriza luta dos feirantes no Santo da Serra

08 Dez 2019 / 12:54 H.

A CDU esteve, esta manhã, na feira do Santo da Serra, a fim de valorizar a luta dos feirantes que conseguiram regressar ao espaço pertencente à Diocese do Funchal, onde funciona semanalmente essa mesma feira.

“É da maior importância estarmos neste relançamento da Feira do Santo, com os feirantes e com toda a população que deu apoio directo a esta luta popular. É muito importante cantar vitória no Santo da Serra para se sublinhar como é importante a força da luta”, disse Edgar Silva, coordenador regional, acrescentando que se conseguiu impedir que a feira fosse “condenada à morte”.

“Conseguimos que os feirantes continuassem a ter direito à vida. Conseguimos que novos direitos fossem alcançados. Ora, se não tivesse sido a dinâmica da nossa luta tudo teria sido perdido”, frisou.

Foi no recinto da Feira do Santo da Serra que Edgar Silva assumiu que “nesta luta popular fica mais uma vez demonstrado que nem sempre os mais poderosos vencem, nem sempre aqueles que recorrem à violência são os vencedores, nem sempre os detentores do poder político vencem o povo”. “Ficou aqui demonstrado que o povo unido jamais será vencido”, declarou.

A CDU aproveitou o momento para valorizar o facto de “os feirantes terem conseguido formas de organização que abrem novas perspectivas de trabalho, de qualificação da feira e de maior atractividade nos tempos mais próximos”.

De recordar que, tal como o DIÁRIO avançou esta manhã, a feira regressou com as contingências de um tempo menos favorável, com aguaceiros e nevoeiro, ao início do dia. No entanto, os feirantes mostram-se dispostos a trabalhar para ‘reerguer’ o recinto que outrora esteve sob a alçada da Câmara Municipal de Santa Cruz, que rescindiu o contrato de arrendamento por alegada falta de pagamento de renda de vários feirantes. A solução encontrada passou pela criação de uma associação de feirante e negociação de novo contrato de arrendamento directamente com a Diocese do Funchal.