Velejador Miguel Sá já chegou a Cabo Verde

11 Fev 2019 / 13:00 H.

O velejador Miguel Sá cumpriu a etapa mais longa da sua viagem em navegação solitária, entre La Gomera e a Ilha de São Vicente, em Cabo Verde, num total de 5 dias e 19 horas de travessia. No início da viagem à saída de Gomera enfrentou rajadas de vento muito forte na ordem dos 45 nós o que levou a seguir rumo a sul pela costa de Gomera. Devido à proximidade de Tenerife e do altíssimo Pico Teide passou numa zona de ‘Sombra’ ou seja zona sem vento e teve que recorrer a navegação com recurso a motor por umas 3 horas. A primeira noite de mar foi bastante agitada, com ondas cruzadas e ventos de 35 nós. Na segunda noite melhorou e muito, com vento nos 20 nós e até teve zonas sem vento, que levou a ter de recorrer umas horas ao motor. Após metade da travessia uma nuvem de poeira vinda do Saara deixou o barco avermelhado de terra. Na proximidade de Cabo Verde o vento foi enfraquecendo e por várias vezes ao longo da viagem teve que andar a alterar as velas, ora rizando (tornar mais curta a superfície vélica) ora pondo a vela balão quando o vento era mais fraco. Em relato aos seus amigos e equipa de apoio que o acompanha nesta aventura, o Miguel Sá referiu ainda as dificuldades próprias de uma navegação solitária: Embora possa ser rotineira, a vida a bordo requer estar alerta 24 horas ao dia. Não há momentos para distrações e não é possível dormir um par de horas seguidas. Nesta etapa descansou sempre em intervalos de meia hora e no máximo uma hora, dependendo da zona de navegação, ou seja em zonas de pouco tráfego marítimo, onde foi possível dormir uma hora seguida.

Na Ilha de São Vicente, onde chegou na madrugada do sábado passado, o velejador tem contactos agendados com várias entidades para entrega de ofertas e lembranças da Câmara Municipal do Funchal e dos vários patrocinadores do Re-navegar 2019. Haverá ainda oportunidade para contactos com alunos de escolas do Mindelo, altura para o Miguel Sá falar sobre as peripécias e condicionalismos próprios desta aventura a solo do Funchal a Cabo Verde.

Recorde-se que após a largada do Funchal no passado dia 19 de janeiro o Velejador teve uma paragem mais prolongada na Ilha de La Palma, na parte Noroeste do Arquipélago das Canárias, para substituição do alternador que se avariou na parte final da ligação Funchal-La Palma. Após esa reparação o Miguel Sá fez escala em La Gomera, de onde partiu no passado domingo, dia 3 de fevereiro e com destino ao Porto de Mindelo, em São Vicente.

Em jeito de ‘livro de bordo’desta viagem, foi criada uma página no facebook ‘Re-Navegar-2019-Funchal-Praia’ e a localização deste navegador solitário pode ser seguida através do dispositivo GPS disponível a bordo e que transmite a posição da embarcação para uma página de internet em: https://eur-share.inreach.garmin.com/U4ATE

A iniciativa conta com apoios da Câmara Municipal do Funchal, Clube Naval do Funchal e Marina do Funchal e patrocínio da Dilectus, Zoom Publicidade Madeira, Tecnovia Madeira, Terramiga - Produtos Dermocosméticos e Dermoterapêuticos e Loja Madeirense. Tem ainda o apoio logístico da Associação do Filme, Televisão e Multimédia da Madeira.

Outras Notícias