Polémica com ‘drag queen’ em desfile de Reis Magos em Madrid

Madrid /
03 Jan 2018 / 17:25 H.

A participação num dos tradicionais desfiles dos Reis Magos de Madrid de uma cantora ‘drag queen’ está a levantar uma polémica em Espanha, com os partidos conservadores a acusar a câmara municipal de “desnaturar” a festa das crianças.

A ‘drag queen’ “a Proibida”, acompanhada por dois artistas de cabaret, anunciou que iria subir a um carro alegórico “pela diversidade e a igualdade” de géneros, vestida com um pijama de peluche, no desfile do bairro de Puente de Vallecas, durante um dos 17 previstos na capital de Espanha na véspera do Dia de Reis, 6 de Janeiro.

“A Epifania deve ser respeitada, como respeitaríamos qualquer festividade de qualquer religião”, declarou José Luis Martinez Almeida, porta-voz do Partido Popular (PP, direita conservadora) e opositor da presidente de câmara de Madrid, Manuel Carmena - independente de esquerda.

Martinez Almeida acusou Carmena de estar a “desnaturar o Natal”, na sequência de outras polémicas sobre os desfiles dos Reis Magos ocorridos em anos anteriores.

O desfile “respeita as crianças, os seus sonhos, e a natureza desta festa”, contrapôs Francisco Pérez Ramos, da lista de Carmena e presidente do bairro de Puente de Vallecas, onde “A Proibida” vai desfilar, manifestando estranheza pelo facto de a oposição se indignar com a participação de uma ‘drag queen’ (artista homem vestido de forma exuberante de mulher) e não com a publicidade inscrita nos carros alegóricos.

Estas festividades comemoram-se por toda a Espanha há mais de 150 anos e o cortejo que atravessa as avenidas principais de Madrid é o mais grandioso de todos, podendo ser seguido em directo pela televisão.

As crianças espanholas recebem os seus presentes no dia 6 de Janeiro, dia dos Reis Magos - Melchior, Gaspar e Baltazar -- que, segundo a tradição, seguiram a estrela de Belém para visitar Jesus na manjedoura, tendo-lhe levado os seus presentes (ouro, mirra e incenso).

Milhares de pessoas, principalmente crianças, estarão ao longo das avenidas onde vão passar os carros alegóricos iluminados, com uma atenção particular para os que levam os três reis magos e seus ajudantes, que quando passam distribuem guloseimas.

Em 2016, aquando do primeiro desfile depois de a esquerda ter ganho a presidência da câmara de Madrid, Manuela Carmena foi muito criticada pela realização de uma marcha em que o rei Gaspar foi interpretado por uma mulher.