Cientista suíço dispensa energia e matéria negras em novo modelo do Universo

22 Nov 2017 / 15:57 H.

Um astrónomo suíço descobriu uma explicação para a expansão do Universo que dispensa os conceitos de matéria negra e energia negra, dois mistérios da astronomia cuja existência ainda ninguém conseguiu provar.

A ideia de “matéria negra” surgiu há quase um século e sugere que existe no Universo mais matéria do que aquela que se consegue observar, permeada por uma energia mais poderosa que a gravidade e que impele o Universo para se expandir a uma velocidade cada vez maior.

O astrónomo André Maeder, da Universidade de Genebra, usou modelos postulados quer na teoria da relatividade de Albert Einstein quer por Isaac Newton no seu modelo de gravidade universal e verificou que conseguem explicar a expansão do Universo sem precisar de teorizar a existência de matéria e energia negras.

No estudo publicado hoje no Boletim de Astrofísica, Maeder usou um aspecto da teoria da relatividade de Einstein, que sugere que o vazio, a parte do Universo onde não existe matéria, não aumenta nem diminui quando se dá uma contracção ou dilatação como a descrita na teoria do ‘Big Bang’, a grande explosão seguida de expansão que terá criado toda a matéria.

No modelo de Maeder, prevê-se, com a Física já conhecida, a expansão acelerada do Universo sem ter que propor a existência de matéria e energia negras.

O cientista ressalva que o seu trabalho não está acima do “espírito científico”, em que “nada pode ser tomado como certo, seja em termos de experiência, observação ou raciocínio humano”.

Outras Notícias