Projecto ‘Segurança em Casa, na Rua e na Escola’ já abrangeu 45 mil indivíduos

09 Mar 2018 / 12:15 H.

Mais de 45 mil indivíduos entre alunos, docentes, não docentes e encarregados de educação já receberam formação no âmbito do projecto ‘Segurança em Casa, na Rua e na Escola’, uma iniciativa que existe desde Fevereiro de 2011, e que já abrangeu todas as escolas públicas e privadas, de todos os níveis de ensino da Região Autónoma da Madeira, encontrando-se actualmente numa segunda ronda de actividades.

Os números foram avançados esta manhã por Jorge Carvalho, secretário regional de Educação, na sessão de abertura das VII Jornadas EcoZarco, subordinadas ao tema ‘A importância da escola na compreensão do fenómeno das catástrofes’, que estão a decorrer na EBS Gonçalves Zarco.

Segundo Jorge Carvalho, este projecto “tem se revelado estratégico e imprescindível” na capacidade em dotar os alunos dos conhecimentos e competências essenciais a uma cidadania activa e responsável face à segurança e aos riscos. “Através da escola podemos transformar a sociedade”, sublinhou.

Recorde-se que o ‘Segurança em Casa, na Rua e na Escola’ resulta de uma parceria entre a Secretaria Regional de Educação, o Serviço Regional de Protecção Civil e a Associação Insular de Geografia, que tem por objectivo sensibilizar e consciencializar toda a comunidade escolar e local para a importância do Plano de Prevenção e Emergência da escola, para o plano familiar de emergência e para a temática dos riscos naturais e tecnológicos. Além disso, pretende ainda a criação de estratégias e comportamentos pessoais e colectivos de prevenção e emergência para fazer face a diferentes situações de risco. Este projecto nasceu de uma aposta da SRE, em linha com as conclusões do relatório do Estudo de Avaliação do Risco de Aluvião na Ilha da Madeira, realizado após o 20 de fevereiro de 2010 pelo Instituto Superior Técnico, Universidade da Madeira e Laboratório Regional de Engenharia Civil e que refere como medidas determinantes, entre outras, a realização de “Acções de formação e de informação do público que conduzam a uma melhor percepção dos riscos”.

Além deste projecto, Jorge Carvalho recordou esta manhã que a SRE foi pioneira ao nível nacional da implementação do projecto ‘Educação para a Segurança e Prevenção de Riscos’ na área curricular não disciplinar da formação pessoal e social. “Começamos em 2013 abrangendo todos os alunos do Ensino Básico”, disse o governante.

“Não temos dúvidas de quanto mais e melhor for a informação que possuímos, também melhor qualidade terá a decisão sobre as questões ambientais, particularmente os fenómenos naturais extremos e os seus impactos que merecem, sem dúvida, a nossa séria e ponderada reflexão”, afirmou o secretário de Educação, acrescentando que “a escola é o local privilegiado para a implementação de boas práticas e consciencialização de uma cultura de segurança responsável.”

Mais uma vez os professores são primordiais para o desempenho desse papel, por serem um corpo altamente especializado, por estarem habilitados pedagógica e cientificamente para o cumprimento dessa missão e por serem responsáveis pela disseminação de comportamentos preventivos.