O cancro é uma realidade que “deve ser encarada de forma positiva”

Rita Andrade, Ricardo Sousa, Ricardo Franco e outra entidade encerraram esta manhã, em Machico, o projecto ‘Um Dia pela Vida’ da Liga Portuguesa Contra o Cancro

14 Jul 2018 / 11:44 H.

No encerramento do projecto anual ‘Um dia Pela Vida’, da Delegação Regional da Liga Portuguesa contra o Cancro, realizado esta manhã, em Machico, a secretária Regional da Inclusão e dos Assuntos Sociais referiu ser um dia “tocante”, o facto de encerrar uma actividade importante para as pessoas oncológicas, considerando que a mensagem deste projecto é que “juntos chegamos mais longe”.

Rita Andrade felicitou toda a equipa do projecto, em especial os oncológicos que servem de inspiração para todos, considerando-os os “heróis e heroínas das nossas vidas”.

Relembrou que o cancro está muitas vezes ao nosso lado, nas nossas famílias, nos nossos amigos e no trabalho, “um facto e uma realidade que devem ser encarados de forma positiva” em que as pessoas “ficam mais ricas, encaram a vida de outra maneira, e isso é uma grande oportunidade”, referiu a governante, tendo deixado a mensagem aos que estão a passar por esta situação, de que “daqui poderá surgir uma nova oportunidade e uma nova vida”.

Por toda a solidariedade envolvida nesta causa, o Governo Regional cedeu “com muito gosto” um espaço no Funchal para a nova sede da Liga contra o Cancro. Situado junto à Escola Francisco Franco, será um edifício completo, “com toda a dignidade, porque esta causa merece”.

Ricardo Sousa, presidente da Delegação Regional da Liga Portuguesa Contra o Cancro, agradeceu à autarquia de Machico pelo apoio prestado ao projecto ‘Um dia Pela Vida’ que se faz de “emoções, carinho e entrega das pessoas em prol dos que precisam de apoio”, sendo Machico o primeiro concelho, a nível nacional, a ter três edições de ‘Um dia Pela Vida’ que conta com 50 equipas voluntárias prontas a ajudar.

O projecto decorre, neste momento, em oito locais do país, incluindo Açores e Madeira, o que faz com que os doentes oncológicos, estejam onde estiverem, não se sintam só.

Deixou ainda uma palavra de encorajamento aos cuidadores, que muitas vezes são esquecidos, e que precisam também de apoio e incentivo. Relembrou que a Liga Contra o Cancro vive de donativos, tendo, neste momento, 14 mil euros angariado, fruto do trabalho das 50 equipas.

A liga apoia mensalmente 200 famílias na Madeira, o que equivale a cerca de 8 mil euros mensais.

Ricardo Franco, edil de Machico, manifestou-se “honrado” pelo apoio prestado a esta iniciativa “louvável” em relação aos que diariamente se debatem com o problema do cancro que é um dos flagelos da modernidade, tendo considerado que “todo o apoio que a câmara tenha dado, é pouco relativamente à vossa luta pela esperança de continuar a vida”.

Agradeceu o empenho de todos nesta acção levada a cabo no concelho de Machico, considerando uma aposta ganha.

Outras Notícias