“Nós achamos que o BE será imprescindível”, afirma Roberto Almada

14 Fev 2018 / 16:11 H.

“Nós achamos que o BE será imprescindível para num cenário pós-eleitoral poder haver uma mudança política na Madeira”, disse Roberto Almada, reagindo assim ao estudo de opinião da Eurosondagem que faz hoje a manchete do DIÁRIO.

O líder do BE-M afirmou que “num cenário de forte bipolarização em que essa sondagem é feita, onde não há maioria absoluta de nenhum dos partidos, é possível pela soma aritmética, que haja uma maioria de esquerda”.

“O BE está bem posicionado para dar o seu contributo a essa mudança política, mas nunca abdicaremos das nossas propostas, do nosso programa e das nossas listas”, realçou.

Roberto Almada referiu, por seu turno, que apesar de o PSD ter vindo a perder poder desde que Miguel Albuquerque é presidente do Governo Regional, é preciso “muita cabeça no lugar” para “arredar” os sociais-democratas da liderança.

“Não basta um sopro para arredar o PSD do poder, é preciso muito trabalho, persistência e muita cabeça lugar para que isso aconteça, porque o partido tem uma rede muito bem montada”, realçou.