Ferry a funcionar por seis meses e com mesmo apoio

O Governo vai tentar estabelecer a linha lançando novo concurso público, agora apenas para Primavera e Verão e com os mesmos 3 milhões de apoio ao ano

13 Fev 2018 / 18:13 H.

O ferry vai ter resposta, garantiu o presidente do Governo Regional, esta tarde, no final do cortejo Trapalhão. Em jeito de resposta a uma das críticas que desfilaram na rua, o presidente do Governo garantiu que vão voltar a tentar. “Fizemos a um ano, ficou deserto, mesmo tendo 3 milhões de euros por ano para subsidiar a operação. Agora vamos tentar fazê-la neste novo concurso num quadro de meio ano, aproveitando a Primavera e o Verão. Vamos ver se há interessados”, anunciou Miguel Albuquerque.

À pergunta se a falta de interessados poderá significar que não deve ser estabelecida a ligação marítima com o continente, o chefe do Executivo rejeitou: “A leitura é que é uma linha deficitária e falta de escala. Obviamente, mesmo nós, o Orçamento Regional, não tendo o apoio do Estado, como acontece em Canárias – como sabe a linha entre a Espanha e Canárias é subsidiada em mais de 50% pelo estado central espanhol, o que não acontece em Portugal, apesar de a constituição consignar o princípio da coesão territorial - nós decidimos apoiar a operação do ferry em três milhões de euros/ano para subsidiar a linha. Evidentemente vamos ver se há aderentes a este novo concurso, já é o segundo concurso que fazemos.”

Os três milhões mantêm-se por ano, apesar do prazo da operação ter sido reduzido para metade. São nove milhões para os três anos do contrato, no fundo será o dobro para uma operação de menos duração. “Será mais interessante”, acredita.