Amaragem de avião que combatia fogo em Tomar provocou apenas danos materiais

03 Ago 2019 / 20:29 H.

A amaragem na barragem de Castelo de Bode de um avião que participava no combate ao incêndio que lavra no concelho de Tomar, distrito de Santarém, apenas provocou danos materiais, tendo a tripulação saído ilesa, indicou a Proteção Civil.

“O alerta foi dado às 17:43. A tripulação saiu ilesa, havendo a registar apenas pequenos danos materiais”, é referido num comunicado hoje divulgado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Ainda segundo a Proteção Civil, “o avião anfíbio pesado (Canadair CL215), de indicativo operacional Alfa 2, do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais” amarou na Barragem de Castelo de Bode, após abortar a descolagem na sequência de uma operação de ‘scooping’ (recolha de água).

No último mês já se registaram outros dois incidentes com aeronaves durante operações de recolha de água: em 03 de julho na barragem de Castelo de Bode, distrito de Castelo Branco, e em 25 de julho na barragem do Beliche, no Algarve.

Nos três incidentes apenas se registaram danos materiais.

A aeronave, do Centro de Meios Aéreos de Castelo Branco, participava nas operações de combate ao fogo que deflagrou pelas 16:00 em São Pedro, na freguesia de Tomar.

Cerca das 20:00, o incêndio com duas frentes ativas estava a ser combatido por 443 operacionais, apoiados por 127 viaturas e sete meios aéreos, de acordo com as informações disponíveis no ‘site’ da Proteção Civil.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém disse à Lusa, pelas 19:00, que o incêndio estava junto a algumas aldeias dos concelhos de Abrantes e Constância, nomeadamente Martinchel e Montalvo, depois de ter passado o rio Zêzere, junto à barragem de Castelo de Bode.

Contudo, ainda segundo a mesma fonte, o fogo não estava a colocar as populações em risco e não tinha sido necessário proceder a qualquer evacuação.

A intensidade do vento era, ao final da tarde, “a grande dificuldade no terreno”.

O incêndio provocou queimaduras num bombeiro, considerado ferido ligeiro, que foi assistido no Hospital de Abrantes.

Tópicos