Subnutrição na Venezuela mais do que duplicou

12 Nov 2019 / 20:42 H.

O número de pessoas subnutridas na Venezuela aumentou mais do dobro, passando de 2,9 milhões de pessoas no triénio 2013-2015, para 6,8 milhões no triénio 2016-2018, segundo dados divulgados hoje pela ONU.

A população total da Venezuela é de cerca de 32 milhões de pessoas.

Os dados constam do relatório “Panorama de segurança alimentar e nutricional na América Latina e nas Caraíbas em 2019”, apresentado hoje no Chile pelo representante do programa da ONU para a Alimentação e Agricultura (FAO), Júlio Berdegué.

Segundo o relatório, elaborado em conjunto pela Organização Panamericana da Saúde, a Unicef e o Programa Alimentar Mundial, “42,5 milhões de pessoas passaram fome” na América Latina e Caraíbas em 2018, o que “representa um aumento de 4,5 milhões relativamente ao mínimo de 28 milhões registados em 2014”.

“Este aumento é atribuível na quase totalidade à América do Sul, onde o número de subalimentados aumentou 4,7 milhões entre 2014 e 2018”, explica.

Entre os países que registaram aumentos em subnutrição “destaca-se especialmente a República Bolivariana do Venezuela, onde o número de pessoas com fome multiplicou mais de duas vezes, passando de 2,9 milhões de pessoas em 2013-2015, para 6,8 milhões em 2016-2018”.

No entanto, segundo o relatório, alguns países reduziram o número de população desnutrida, entre eles, a Colômbia, que passou de 3,6 milhões para 2,4 milhões de pessoas nos triénios 2013-2015 e 2016-2018, respetivamente.

O México e a República Dominicana também reduziram a fome em 300.000 pessoas.

Outras Notícias