Pompeo reiterou cooperação estratégica entre EUA e sultanato de Omã

22 Fev 2020 / 04:25 H.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, reuniu hoje com o novo líder de Omã, o sultão Haitham bin Tariq al Said, para ratificar a cooperação estratégica com os dois países.

Pouco antes de partir para Omã, Mike Pompeo usou a sua conta na rede social Twitter para expressar as condolências pela morte do sultão Qabus, que morreu em 11 de janeiro, mostrando-se disponível para encontrar renovados laços de cooperação com a nova liderança do sultanato.

Haitham al Said já afirmou que pretende uma linha de continuidade na política externa de Omã, que se tornou um relevante protagonista numa região sujeita a fortes tensões militares, após uma escalada no conflito entre os Estados Unidos da América e o Irão.

O sultanato de Omã, como outros países árabes do Golfo, teme que esta escalada e a campanha de pressão sobre o Irão por parte do Governo norte-americano, de Donald Trump, possam prejudicar o turismo da região, importante fonte de receitas, além de impactar no fluxo de petróleo através do estreito de Ormuz.

O sultanato tinha apoiado o acordo nuclear com o Irão, assinado em 2015, e tem procurado aproximar as relações com o Qatar, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Egito, revelando um espírito diplomático de grande abertura.

Enquanto membro do Conselho de Cooperação do Golfo, Omã mantém ainda relações diplomáticas com o Irão, enquanto tem revelado interesse na cooperação com o Governo israelita, de Benjamin Netanyahu.

À chegada a Omã, Mike Pompeo foi recebido pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Yusuf Abdullah, que recentemente confessou acreditar num bom entendimento entre os EUA e o Irão, após ter mantido contactos com diplomatas de ambos os países em conflito.

A paragem em Omã do chefe da diplomacia norte-americana foi curta, depois de uma passagem pela Arábia Saudita onde, durante dois dias, Mike Pompeo visitou uma base aérea onde estão destacados cerca de 2.500 soldados dos EUA.