Bolsonaro diz que punirá qualquer ministro que se envolva em corrupção

Brasil /
12 Dez 2019 / 22:44 H.

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, declarou hoje que punirá qualquer ministro do seu Governo envolvido em esquemas de corrupção, exemplificando com um método de tortura usado durante a ditadura militar no país, segundo a imprensa local.

“Se aparecer [corrupção], coloco o ministro no pau de arara [instrumento de tortura]. Se ele tiver responsabilidade, obviamente. Porque, às vezes, lá na ponta da linha, está um assessor a fazer asneiras sem a gente saber. Não é isso? É obrigação nossa, é dever”, disse Bolsonaro, citado pela imprensa, numa cerimónia de anúncio de crédito para obras estaduais, no estado de Tocantins.

Bolsonaro, um confesso admirador do período militar, reconheceu a possibilidade de existência de casos de corrupção sem o seu conhecimento no Governo que lidera, mas garantiu que não irá tolerar eventuais irregularidades.

“Pode ser que haja corrupção no meu Governo? Sim, pode ser que haja. Pode ser que haja e o Governo não saiba”, declarou o chefe de Estado.

“Pau de arara” é um método de tortura física e foi utilizado contra aqueles que eram considerados inimigos da ditadura militar brasileira, que vigorou no país sul-americano entre 1964 e 1985.

O atual ministro do Turismo do Brasil, Marcelo Álvaro Antônio, enfrenta problemas na Justiça, sendo alvo de investigações por alegada participação num esquema de candidaturas fantasma de mulheres pelo Partido Social Liberal (PSL), em 2018, e de desvio de dinheiro dessas campanhas eleitorais para outras finalidades.

De acordo com a imprensa local, também a campanha eleitoral de Jair Bolsonaro saiu beneficiada com o alegado desvio de verbas.