Segunda fase do projecto ‘Alista-te por um dia’ envolve 1.000 crianças até Abril

O projecto tem como objectivo aproximar os jovens à vida militar, incutindo o desejo de um dia servirem as Forças Armadas

22 Jan 2019 / 16:36 H.

Arrancou hoje a segunda fase do projecto ‘Alista-te por um dia’, dinamizado pelas Forças Armadas da Madeira, em parceria com a Secretaria Regional da Educação, como forma de envolver, até ao início de Abril, cerca de mil alunos do 4.º ano de escolaridade aos vários ramos das Forças Armadas.

Depois do sucesso alcançado na primeira fase deste projecto, que envolveu cerca de 1.050 alunos entre 20 de Setembro e 23 de Novembro, a segunda fase chega agora para dotar as crianças de mais conhecimentos da vida militar, nomeadamente, o Exército, a Marinha e a Força Aérea.

Ao longo do dia de hoje, em que as crianças alistam-se por algumas horas, são realizadas várias actividades, desde logo os valores associados ao hino nacional e à cerimónia do hastear da bandeira, a projecção de filmes relacionados com as actividades dos três ramos das Forças Armadas, indo depois para o terreno, onde estarão em trincheiras, aprendendo algumas técnicas de sobrevivência e de montanhismo. Visitam ainda o RG3 e à tarde irão ao Patrulha, neste caso o Douro, que está estacionado no Funchal, como forma de contactarem com as actividades da Marinha e da embarcação.

Segundo o Major-General Carlos Cardoso Perestrelo, a ideia do projecto vocacionado para todos os alunos do 4.º ano de escolaridade da Madeira passa por aproximar os cidadãos das Forças Armadas. Reconhece que a divulgação não está associada apenas ao seu público-alvo, que deveria ser os alunos do ensino secundário, mas entende que, na Região, através do Governo Regional e da Secretaria da Educação, “é importante passar a mensagem dos valores da sociedade aos mais jovens e entendemos que o quarto ano de escolaridade é o momento único para os jovens nunca mais se esquecerem de um momento único como este”, salienta o Major-General, destacando as várias actividades de divulgação, como o Dia da Defesa Nacional com uma mensagem focada nos jovens em idade de ingresso às Forças Armadas, assim como iniciativas realizadas para o ensino secundário e universitário.

Carlos Cardoso Perestrelo adverte que a realidade madeirense em nada tem a ver com a nacional, tendo actualmente a Zona Militar da Madeira cerca de 450 militares madeirenses no exército, demonstrando que os jovens madeirenses “estão disponíveis para servir a instituição militar na sua ilha”.

O número satisfaz, mas salienta que é sempre preciso mais voluntários para cumprir toda a orgânica militar.

Tendo em conta o sucesso da primeira fase deste projecto, foi constituído um grupo de trabalho a nível nacional que tentará implementar um projecto semelhante em território continental, sendo a Madeira um exemplo a seguir.

Jorge Carvalho, secretário regional da Educação, salientou que esta iniciativa foi um desafio abraçado desde a primeira hora, uma vez que vem responder àquilo que faz parte do projecto educativo regional, que passa por “criar nos jovens um conhecimento que vá além do curricular e do académico”. A instituição militar, além de ser uma referência, merece ser conhecida e o governante entende que a melhor forma de divulgar esta instituição junto dos jovens passava por uma metodologia que permitisse a todos os alunos visitar este espaço.

A iniciativa enquadra-se num conjunto de outras estratégias que a Secretaria procura desenvolver naquilo que é a “formação integral das crianças e jovens”, refere Jorge Carvalho.