Relação histórica entre madeirenses e gibraltinos projectada em documentário

Éxílio Atlântico’ é o documentário que conta a história de 2000 gibraltinos refugiados no Funchal durante a 2.ª Guerra Mundial.

07 Mai 2019 / 10:33 H.

O Vice-Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e a Vereadora Madalena Nunes acompanharam a exibição do documentário ‘Exílio Atlântico’ no Teatro Municipal Baltazar Dias, da autoria de Pedro Mesquita, que contou com o apoio da Câmara Municipal do Funchal.

O documentário recorda os cerca de 2000 gibraltinos, na sua maioria mulheres e crianças, que foram evacuados para o Funchal durante a 2.ª Guerra Mundial, ficando instalados em hotéis, pensões e casas particulares até ao fim do conflito, sendo que muitos deles criaram raízes na Madeira, contribuindo para que a respectiva comunidade tenha, até hoje, uma estreita relação com a cidade.

Louis Pereira, o mais veterano dos gibraltinos que se refugiaram no Funchal durante a Segunda Guerra Mundial, actualmente com 92 anos, foi o convidado de honra da sessão. Na ocasião, Miguel Silva Gouveia enalteceu “as décadas de amizade e de camaradagem entre os nossos povos, unidos para sempre num momento de extrema provação, que acabaria por render uma relação tão bonita e duradoura como aquela que mantemos hoje”, salientou o vice-presidente, referindo que foi uma “honra” ter contribuído para este documentário que servirá de “memória futura para as gerações vindouras”.