Paulino Ascenção: “São patéticas algumas manifestações de regozijo nas redes sociais de figuras do PSD”

Barómetro “não traz novidade” e os resultados na Madeira “têm pouco significado”, conclui o coordenador do BE

16 Mar 2019 / 15:38 H.

Para o Bloco de Esquerda (BE) o Barómetro da Eurosondagem publicado pelo DIÁRIO de Notícias, “hoje não traz novidade face a outros estudos de opinião de âmbito nacional publicados nos meses recentes”, conclui Paulino Ascenção. Além do mais, o coordenador regional do BE deixa claro que “as sondagens são análises que merecem respeito, mas não determinam a actuação do Bloco de Esquerda”.

Ainda assim, olhando aos resultados das intenções de voto para a Assembleia da República, onde o BE surge na 4ª posição com 8,1%, Paulino Ascenção regista que “no quadro geral os partidos que apoiam o actual governo surgem com larga vantagem sobre a oposição de direita, o que mostra como esta não tem projecto para o País que mobilize os eleitores”. Análise que considera ser ainda mais categórica tendo em conta o surgimento da Aliança. “O aparecimento neste estudo de um novo partido à direita reforça ainda mais a esta leitura”, concretiza o dirigente bloquista.

No que diz respeito à Madeira e porque a estratificação por regiões, conforme esclarece o DIÁRIO, “a quota das mesmas nesta amostra não é, nem poderia ser, significativa”, já que neste primeiro barómetro há 48 entrevistados que votam na Madeira e que representam apenas 4,7% no estudo, Paulino Ascenção minimiza o pouco significado para a Região deste estudo, considerando ridículas algumas manifestações de regozijo vindas a público por figuras ligadas ao PSD.

“Os valores publicados relativos às entrevistas efectuadas na Madeira têm pouco significado, pois reportam-se a um universo de 48 entrevistados apenas e trata-se de um estudo sobre as eleições nacionais. Considerados estes dois factores, são patéticas algumas manifestações de regozijo nas redes sociais de figuras do PSD por este surgir na frente”, considera.

Para o coordenador do Bloco de Esquerda – Madeira, “o Bloco continuará o seu trabalho a apresentar propostas claras e concretas de novas políticas que rompam com as práticas do PSD e respondam ao desejo de mudança que os madeirenses expressam”.

Outras Notícias