“O novo Hospital Central da Madeira será uma realidade”

15 Mar 2019 / 15:50 H.

“Como é do conhecimento público, apesar da importância vital que este projecto representa para a Madeira e para o Porto Santo, o seu delineamento tem conhecido várias adversidades, a começar pelo posicionamento dúbio do Governo da República, que tem obstaculizado o seu andamento, com avanços e recuos no que ao cofinanciamento diz respeito. Mas não será isso que nos demoverá da nossa intenção. O novo Hospital Central da Madeira será uma realidade”.

Palavras de Pedro Calado no encerramento do Seminário ‘Anatomia do Erro Médico - Origem, Causalidade e Consequências’, que decorreu hoje, dia 15 de Março, no auditório do Centro de Estudos de História do Atlântico/Professor Alberto Vieira.

Po outro lado, o vice-presidente do Governo Regional da Madeira realçou que o Governo da Madeira tem vindo a fazer um grande esforço para optimizar os recursos humanos do Serviço Regional de Saúde, oferecendo as melhores condições de trabalho e de carreira aos nossos profissionais (por exemplo, a redução do horário de trabalho ou a recuperação do tempo de serviço) e tentando atrair e reforçar os quadros do SESARAM com novos médicos especialistas.

“Não adianta termos infra-estruturas de referência e hospitais de última linha, se não tivermos quadros suficientes e profissionais qualificados para dar resposta às necessidades da população”, afirmou.

Revelou ainda que nos últimos dois anos, o Governo Regional contratou 75 novos médicos, 250 enfermeiros e reforçou o Serviço Público de Saúde com cerca de 700 pessoas – entre pessoal clínico e não clínico –, estando-se, agora, a abrir mais 400 procedimentos concursais destinados a prover as necessidades permanentes de serviços, nomeadamente de médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico e terapêutica, assistentes técnicos e assistentes operacionais.

“Apesar de termos a consciência de que nesta área ainda há muito a fazer, confiamos que as reformas aprofundadas por este Governo continuarão a produzir resultados. Os indicadores apontam para um Serviço Regional de Saúde cada vez melhor e com ainda mais qualidade. E é isso que move o Governo Regional”, rematou Pedro Calado.

Outras Notícias