Motorista do acidente já estava a trabalhar há 13 horas, denuncia Sindicato

21 Abr 2019 / 21:36 H.

O coordenador do Sindicato Nacional dos Motoristas denunciou neste domingo, na SIC, que o condutor do autocarro que se despistou na quarta-feira no Caniço já estava a trabalhar há 13 horas no momento do acidente e que o horário normal de trabalho é de oito horas. O dirigente garantiu ter documentos que comprovam esta situação e que já foi feita uma denúncia no Ministério Público.

“Informaram-nos que provavelmente deveria ter largado o serviço às 22h00 [de terça-feira] e que teria pegado num novo serviço às 05h00/05h30 da manhã [de quarta-feira, dia do acidente]. Portanto, quer dizer que se esta informação for devidamente validada obviamente que este trabalhador tinha uma carga horária para além daquilo que é permitido legalmente”, disse Manuel Oliveira.

Segundo a SIC, a lei diz que cada turno deve ter oito horas e que por isso no momento do acidente o condutor já teria mais cinco horas de trabalho do que o permitido. Diz que os motoristas sentem-se intimidados para denunciar estes abusos e que faltam meios humanos e físicos às autoridades que fiscalizam as condições de trabalho.

Recorde-se que o motorista do autocarro acidentado, José Guilherme Sousa, é um dos feridos que continuam internados no hospital.