Madeira é a região do país mais prejudicada pelas cativações do Governo da República

19 Mar 2019 / 12:57 H.

A Madeira é a região do País mais prejudicada pelo Governo de António Costa. A conclusão foi apresentada ontem, segunda-feira, pela JSD/Funchal, na sede dos Netos, após a Conferência subordinada ao tema ‘Actualidade – Política Nacional’, que teve como orador o deputado social-democrata na Assembleia da República (AR), Paulo Neves.

“Aquilo que se denota no universo de cativações deste Governo Nacional, é que a Madeira é campeã pelas piores razões”, não só “em termos financeiros”, mas também “naqueles que são os projectos mais importantes para a Região”, disse o presidente da Concelhia do PSD do Funchal, Francisco Gonçalves.

Paulo Neves exemplificou alguns dos grandes temas pendentes da República para com a Madeira, como a mobilidade, as viagens dos estudantes para o Continente e o Passe Sub 23. No que respeita aos passes, “o Governo Socialista recusou-se a ajudar os estudantes madeirenses”, ao contrário daquilo que acontece no restante território nacional. Por isso, “o Governo do PSD da Madeira chegou-se à frente e pagou” sublinhou o deputado.

O mesmo acontece com as viagens dos estudantes madeirenses que frequentam o ensino superior fora da Região. Lisboa recusou-se a rever o subsídio de mobilidade e, neste momento, é o Governo Regional, liderado por Miguel Albuquerque, que adianta as verbas das viagens. Os estudantes passaram a pagar apenas 65 Euros pela passagem, até um máximo de quatro viagens de ida e volta por ano.

Na conferência também foi abordada a questão da importância do voto, em particular as eleições legislativas nacionais, que registam sempre uma taxa mais elevada de abstenção.

“Tem de haver um sentimento da importância da Assembleia da República[por parte dos madeirenses]”, sublinhou Paulo Neves, apelando ao voto. “Ninguém melhor do que um madeirense para defender a Madeira [em Lisboa]”, concluiu Francisco Gonçalves, parafraseando Paulo Neves.