Drone detecta lume dentro do prédio ardido e adia avaliação do LREC e investigação da PJ

25 Fev 2019 / 11:04 H.

As imagens aéreas obtidas com o auxílio de um drone ao prédio que ardeu na baixa do Funchal permitiram aos técnicos do Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC) concluir que não estão reunidas as condições de segurança para que a avaliação técnica seja executada.

Segundo apurou a reportagem do DIÁRIO, no interior do antigo edifício da Companhia Insular de Moinhos há ainda materiais combustíveis a arder, pelo que, só depois de uma operação de rescaldo completa por parte dos bombeiros é que será possível a entrada, na área ardida, dos técnicos para efectuar a avaliação estrutural assim como dos inspectores da Judiciária.

Ao que tudo indica, a operação de rescaldo para extinguir todos os focos de incêndio dentro do prédio deverá ter lugar ainda hoje, pelos Bombeiros Sapadores do Funchal que mantêm um auto-tanque e três bombeiros em permanência no local.

A integridade da chaminé é um dos aspectos que mais preocupam os técnicos do LREC. Para já, nada indica que a solidez da estrutura esteja em causa, contudo, só com uma pesquisa ‘in loco’ é que será possível ter garantias de que a chaminé não representa perigo de desmoronamento.

Como tal, para amanhã foi agendada uma nova visita técnica ao local para constatar se estão reunidas todas as condições de segurança para que os técnicos do LREC e os inspectores da PJ possam entrar no edifício destruído pelo incêndio de sexta-feira, a fim de se iniciarem quer a avaliação estrutural como também a investigação judiciária.

Tópicos

Outras Notícias