Bolo de mel que deu ‘umas voltas’ pelo Atlântico degustado no Funchal

Teste à durabilidade da iguaria típica da Madeira foi feita hoje

06 Dez 2019 / 14:00 H.

“Hoje, passados 11 meses, fizemos a prova dos bolos de mel”. Assim dito não parece nada de especial, mas a verdade é que foi uma prova especial desta iguaria típica da Madeira. “Um que ficou em ambiente controlado e outro que deu a volta ao oceano Atlântico” e durante 11 meses esteve a bordo de um veleiro, o ‘Marujo’, do velejador Miguel Sá.

Quem conta é José Manuel Sebastião, da ‘Loja Madeirense’, que juntamente com o velejador e outros convidados, reuniram-se na ‘Fábrica Élvio, na Avenida da Madalena no Funchal, para degustar os doces.

“Alguma diferença nos sabores do que viajou, mas continuam bons”, conta. “Depois provamos um com 10 anos, sabores completamente alterados e acabamos com a prova dum bolo acabado de fazer e quente”, acrescenta. “Resultado final, o bolo de mel da Madeira dura, dura, dura!”

Refira-se que Miguel Sá embarcou numa viagem transatlântica em Fevereiro deste ano, passando por Canárias, Cabo Verde, Barbados, Guadalupe, Martinica, Dominica, St. Lucia, St. Vincen e Granadines, St. Bartolomeu, St. Martin e Açores, terminando novamente no Funchal em Julho último. Na bagagem levava o espírito aventureiro e, sobretudo, muito equipamento didáctico que ficou encarregue de entregar a escolas nas ilhas de Cabo Verde, missão denominada ‘Re-navegar 2019’ e que cumpriu.

Mas, depois, quis prolongar enquanto tivesse vontade de navegar por aí. Hoje foi a prova dos quatro, um ‘viajante’, um residente, outro envelhecido e outro jovem.