“As questões de acessibilidade dizem respeito a todos nós”, refere Miguel Silva Gouveia

O presidente da Câmara do Funchal marcou presença na Abertura do 4.º Encontro de Cultura Acessível

24 Out 2019 / 13:00 H.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, marcou presença esta manhã, na abertura do 4.º Encontro de Cultura Acessível, um evento dinamizado pela Autarquia que pretende “ser um espaço de encontro, de reflexão e debate sobre os desafios que se afiguram à cultura no Funchal e na Região, em termos de inclusão e acessibilidade”, referiu o autarca tendo realçado a necessidade destes encontros para “estabelecer parcerias, partilhar experiências quando o objectivo é comum: construir uma sociedade melhor, o que se traduz numa cultura mais acessível e mais inclusiva”.

Miguel Silva Gouveia frisou ainda que as questões de acessibilidade dizem respeito a todos nós. “Não é uma responsabilidade só dos que precisam, mas uma responsabilidade de todos. Quando se fala de acessibilidades, fala-se de cidadania, humanismo, inclusão, não discriminação”.

O autarca prosseguiu enunciado as barreiras que o Município tem procurado combater: “em primeiro lugar as barreiras físicas, temos trabalhado de modo a adequar o espaço público e o património edificado municipal acessível a todos, com investimentos no mobiliário urbano e com uma reabilitação urbana planeada”, frisou, realçando que o Município do Funchal tem realizado um “investimento financeiro significativo” na área das acessibilidades, nomeadamente com obras nos museus municipais e no Teatro Baltazar Dias e, num âmbito mais geral, “estamos neste momento a realizar obras no Paços do Concelho para a colocação de um elevador, a facilitar a mobilidade de peões na interdição das ruas ao automóvel e, este ano, já foi feito um investimento de 48 mil euros para rebaixamentos de passeios”.

Considera que a acessibilidade “vai mais além das barreiras físicas, quando nos deparamos com barreiras sociais e cognitivas e, nesse sentido, o Funchal procura olhar além de si mesmo e leva a cultura a novos públicos, adaptando-se a eles”, referiu o autarca, salientando que esse esforço tem sido “reconhecido” através de uma “menção honrosa da Comissão Europeia no Prémio Cidade Acessível”, assim como a menção honrosa da Acesso Cultura ao Museu Henrique e Francisco Franco.

O Presidente finalizou avançando que o Funchal “assume a responsabilidade de continuar a criar um percurso que é pautado por quebrar todo o tipo de barreiras, vamos continuar a adoptar uma postura cada vez mais proactiva, criando uma base robusta de conhecimentos e sinergias que potenciem respostas concertadas, visto que independentemente da barreira e da limitação a cultura tem de chegar a todos”.

Outras Notícias