ARDITI colabora no projecto MEMEX que apoia a inclusão de comunidades em risco

20 Fev 2020 / 16:19 H.

Tem início esta semana um novo projecto financiado pela União Europeia que junta investigadores, comunidades e empresas, para promover a visibilidade e integração de comunidades vulneráveis através de uso de inteligência artificial e realidade aumentada.

O projecto tem o apoio do ITI - Instituto de Tecnologias Interativas / LARSyS e é coordenado pelo IIT - Istituto Italiano di Tecnologia, em Génova, que obteve investimento de 4 milhões de euros para desenvolver uma aplicação de smartphone que permita mostrar os elementos de comunidades socialmente excluídas enquanto indivíduos através das suas histórias de vida, numa abordagem integrada entre cultura, narrativas, ciência e tecnologia, em Portugal, Espanha e França.

Em Portugal, a empresa cultural Mapa das Ideias e a ONG Instituto do Marquês de Valle Flôr (IMVF) juntram-se para recolher e mostrar as histórias das pessoas das comunidades migrantes de Lisboa.

A equipa do projecto do ITI / LARSyS, do Instituto Superior Técnico (IST), é uma das unidades de investigação acolhidas na Região Autónoma da Madeira, na ARDITI - Agência Regional para o Desenvolvimento da Investigação, Tecnologia e Inovação. É liderado pela Professora Valentina Nisi e pelo Professor Nuno Nunes, também membros da direcção do ITI / LARSyS, que está inserido no tópico ‘Transformações Socioeconómicas e Culturais no Contexto da Quarta Revolução Industrial’, uma acção de Investigação e Inovação que terá uma duração de 36 meses e denomina-se MEMEX - MEMories and EXperiences for inclusive digital storytelling.

As novas tecnologias MEMEX permitirão contar as histórias de comunidades vulneráveis, permitindo construir caminhos narrativos com imagens, vídeos, e mapas em e à volta de patrimónios culturais de territórios diferentes. As comunidades poderão beneficiar de uma plataforma que lhes permite apresentar as suas narrativas, ao mesmo tempo que reforça os seus laços nos territórios em que se encontram.

A criação da APP MEMEX tem o potencial para impactar positivamente as sociedades multiculturais da Europa, enquanto instrumento digital de aprendizagem para uso em escolas e outras instituições educadoras, enquanto instrumento de apoio à definição de políticas de inclusão social (decorrentes de recomendações que serão criadas pelo projeto), ou enquanto meio de expressão para artistas e comunidades digitais.

O primeiro estudo de investigação teve lugar em Lisboa. Foi liderado por Vanessa Cesário, investigadora do ITI / LARSyS, e Ivo Oosterbeek e Ilídio Louro da empresa Mapa das Ideias que trabalharam em colaboração com Mónica Santos Silva do IMVF na colecção de histórias e memórias de jovens adultos portugueses, primeira geração de imigrantes em Portugal.

O consórcio é composto por: IIT - Instituto Italiano de Tecnologia (Itália), Universidade de Veneza - Ca’ Foscari (Italy), Ernst & Young (Itália), ECCOM (Itália), Mapillary (Suécia), Instituto de Tecnologias Interativas - LARSyS (Portugal), Associação Michael Culture (Bélgica), Dedalè (França), InterArts (Espanha), Noho (Irlanda), e Mapa das Ideias (Portugal).