Actor de ‘Guerra dos Tronos’ diz que “houve danos psicológicos na Batalha de Winterfell”

12 Mai 2019 / 10:34 H.

A batalha que opôs o Rei da Noite aos exércitos humanos em Winterfell, na série “Guerra dos Tronos”, foi filmada em condições tão extremas que “era difícil manter o queixo levantado”, disse o ator Liam Cunningham.

O ator que interpreta Ser Davos Seaworth na história épica da HBO a partir dos livros de George R. R. Martin explicou que a Batalha de Winterfell, no terceiro episódio da oitava e última temporada da série, foi fisicamente difícil de filmar devido às condições meteorológicas que se faziam sentir e à extensão temporal que demorou a contar essa parte da história.

“Houve danos psicológicos na batalha de Winterfell”, referiu o ator numa conversa com jornalistas europeus sobre a nova série em que está envolvido, “The Hot Zone”.

De acordo com a Entertainment Weekly, a Batalha de Winterfell foi a sequência de luta mais longa da história do cinema, num episódio com 90 minutos de duração.

“Foram 55 noites num frio sem precedentes no norte da Irlanda”, contou Liam Cunningham, caracterizando o processo como “horrível” porque “parecia o Ártico todas as noites”.

Numa série em que nenhuma personagem tem sobrevivência garantida, o ator irlandês disse que Ser Davos “poderia facilmente tornar-se um especialista em vinho de Dorne” se conseguisse escapar no final da temporada.

Liam Cunningham abordou também as teorias que surgiram ‘online’ após o quarto episódio sobre o ferreiro Gendry, filho bastardo do rei Robert Baratheon.

“Tenho ouvido falar sobre estas teorias por causa do que a Mãe de Dragões, a Khaleesi, fez ao torná-lo Lorde de Storm’s End”, referiu. “Suponho que é uma teoria razoável, mas se é verdade ou não, terão de esperar pelos episódios finais”.

O ator revelou ainda que não vai ao Festival de Cannes em maio para assistir com a família ao último episódio de sempre de “Guerra dos Tronos”.

“A seguir ao penúltimo episódio vou para Madrid começar um novo projeto”, revelou, “e no fim de semana seguinte era suposto ir a Cannes por uns dias, mas disse aos meus amigos que não vou”.

O ator, que vive em Dublin, tem organizado sessões de visionamento da oitava temporada com a família mais próxima às duas da manhã, hora local, já que os episódios se estreiam na Irlanda em concertação com os Estados Unidos.

“Estou a rejeitar o glamour de Cannes pelo sofá não tão glamoroso lá de casa”, afirmou.

A seguir ao final de “Guerra dos Tronos”, que será transmitido mundialmente a 19 de maio, irá estrear-se no canal National Geographic a nova série de Liam Cunningham, “The Hot Zone”, onde contracena com Julianna Margulies (”The Good Wife”, “Dietland”, “ER”) e Topher Grace (”That ‘70s show”, “BlacKkKlansmann”, “Spider-Man 3”).

A série explora as origens do vírus Ébola e a história da sua chegada a solo norte-americano no final dos anos 1980, num momento em que a doença altamente infecciosa está ativa e já fez mais de 800 mortos na República Democrática do Congo desde agosto de 2018.

Outras Notícias