450 anos do Colégio dos Jesuítas em exposição

15 Out 2019 / 11:55 H.

O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) e a Associação Académica da Universidade da Madeira assinalam juntos os 450 anos da fundação do Colégio dos Jesuítas do Funchal, através de uma exposição que será inaugurada sexta-feira, 18 de Outubro, assinalando, em simultâneo, o Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja.

A exposição conta com o comissariado do professor Rui Carita que, ao longo de várias décadas, se tem dedicado ao estudo do Colégio do Funchal e da presença da Companhia de Jesus na Madeira.

A exposição estará patente entre os dias 18 de Outubro de 2019 e 31 de Janeiro de 2020 e poderá ser visitada, de segunda a sexta-feira, entre as 10h e as 17 horas, e ao sábado, das 10h às 13 horas. Nos dias 18 e 19, o acesso à exposição será gratuito, enquanto que nos restantes dias, o ingresso terá um custo de 2 euros.

Ainda nesta sexta-feira, o professor e historiador Rui Carita orienta uma vista à exposição, às 10 horas, naquele que é o Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja. A visita propõe um percurso pelos principais momentos deste antigo colégio da Companhia de Jesus, reconstituindo os contextos conturbados da fundação e instalação, até à expulsão dos jesuítas da Madeira, mas também, os diferentes usos militares, civis e culturais que o trazem, bem vivo até nós, actualmente. A participação na visita será gratuita mediante inscrição em: http://masf.eventbrite.pt

Monumento histórico

O complexo do Colégio dos Jesuítas, que integra a Igreja de São João Evangelista, património nacional classificado, permaneceu, ao longo de mais de quatro séculos de história, uma presença indelével na cidade do Funchal, não só como edifício marcante na malha urbana, mas também como polo, sempre vivo e dinâmico, nas diversas funções que serviu, ao longo dos tempos, em contextos favoráveis ou adversos.

Carlos Abreu, presidente da Direção da Académica, recorda que o Colégio dos Jesuítas foi fundado a 20 de Agosto de 1569e, embora acolhendo várias instituições, esteve sempre ligado ao Ensino e acolhe, actualmente, a própria reitoria da Universidade da Madeira.

O trabalho da Académica da Madeira no Colégio iniciou-se em 2012 com várias iniciativas culturais, entre visitas educativas, exposições, saraus musicais, circuitos turísticos e até um espaço comercial, que contribuíram para a divulgação da história deste edifício.

Já em 2016, destaca ainda Carlos Abreu, o Colégio passou a integrar o programa Herança Madeirense dinamizado pela Académica com o intuito de dar a conhecer o património material e imaterial da Madeira.