Madeira

PSD-Madeira pede “abandono imediato da vida pública” a António Costa

Foto ASPRESS
Foto ASPRESS

As declarações do Primeiro-ministro sobre o défice da Madeira foram o alvo de duas acções do PSD, no arranque dos trabalhos parlamentares, desta manhã na Assembleia Legislativa da Madeira.

Primeiro foi Carlos Rodrigues, que no final de uma intervenção, que pode ser considerada dura, disse: Os senhores incentivam a segregação, os senhores promovem a divisão, os senhores apoiam o confronto. Por esse motivo, os senhores não dignificam os cargos que ocupam. Pôr os portugueses contra os portugueses, noutros tempos, seria considerado crime de lesa-pátria. Hoje em dia fica pela condenação política, sem hesitações ou dúvidas”.

“Os senhores devem-nos não um pedido de desculpas, mas um abandono imediato da vida pública, pelo menos no que à Madeira diz respeito.”

Logo de seguida, coube ao líder parlamentar dos social-democratas apresentar e defender um voto de protesto ‘Pelas falsas declarações do primeiro-ministro sobre o défice público da Região Autónoma da Madeira. Os termos usados por Jaime Filipe Ramos foram semelhantes aos de Carlos Rodrigues.