Salário mínimo de 580 euros entra hoje em vigor e abrange 800 mil trabalhadores

Na Madeira e nos Açores há um acréscimo de 2% e 5%, respectivamente, em relação ao salário mínimo nacional

País /
01 Jan 2018 / 15:03 H.

O novo salário mínimo nacional, de 580 euros, entra hoje em vigor e vai abranger 800 mil trabalhadores.

Promulgado em 22 de Dezembro pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o diploma que define o aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) para 2018, que passa de 557 para 580 euros, foi aprovado um dia antes pelo Governo, em Conselho de Ministros.

O valor de 580 euros estava previsto no programa do Governo e não resultou de um acordo na Concertação Social porque as confederações patronais exigiam o congelamento da legislação laboral e alterações no IRC - Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas e no Fundo de Compensação do Trabalho.

A CGTP contestou o valor porque reivindica um SMN de 600 euros.

O programa do Governo prevê que o SMN seja de 600 euros em 2019.

Na Madeira, o salário mínimo a vigorar em 2018 será de 592 euros. Mais 22 euros em relação ao valor de 2017 e um aumento de 2%, em relação ao SMN. Já nos Açores, o salário mínimo tem um acréscimo de 5% em relação ao valor nacional e deverá ser fixado em 609 euros.

O SMN foi uma das conquistas da revolução de Abril de 1974 e beneficiou cerca de metade dos trabalhadores portugueses, que passaram a ganhar 3.300 escudos por mês.

A criação do salário mínimo resultou de um decreto-lei aprovado em 27 de Maio pelo primeiro governo provisório da altura, liderado por Palma Carlos.

De acordo com o texto do diploma, o decreto-lei tinha como objectivo satisfazer as “justas e prementes aspirações das classes trabalhadoras e dinamizar a actividade económica” e a instituição do SMN iria beneficiar cerca de 50% da população activa e na função pública iria abranger mais de 68% dos trabalhadores.