Trump recua e apoia Londres nas negociações do ‘Brexit’ se não bloquear comércio com EUA

13 Jul 2018 / 15:21 H.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, recuou hoje nas críticas que fez sobre a gestão das negociações do ‘Brexit’ e encorajou a primeira-ministra britânica, Theresa May, a garantir um acordo que permita trocas comerciais entre os EUA e o Reino Unido.

“Mas tudo que fizerem está bem para mim. Essa é vossa decisão. Tudo o que fizer está bem connosco. Certifique-se apenas que podemos negociar juntos, isso é tudo o que importa aos Estados Unidos”, afirmou, numa conferência de imprensa em Londres.

Em entrevista publicada na edição de hoje do jornal The Sun, Trump criticou a estratégia de May para o ‘Brexit’ e afirmou que a proposta de uma zona de comércio livre “provavelmente mataria” um acordo de livre comércio entre Washington e Londres.

Porém, na conferência de imprensa conjunta com Theresa May, prometeu um “grande acordo comercial bilateral com o Reino Unido”.

“Esta é uma oportunidade incrível para os nossos dois países e vamos aproveitá-la em pleno”, disse Trump, referindo que se trata de uma “negociação muito complicada e não é uma negociação fácil. Isso é garantido”.

Sobre a entrevista ao tabloide The Sun, que foi publicada juntamente com a gravação em áudio, Trump acusou de promover “notícias falsas” [”fake news].

Numa resposta posterior, Trump desafiou May a negociar um acordo que permita negociar condições diferentes de comércio com os EUA.

“A única coisa que peço é que ela trabalhe para que possamos ter um comércio justo porque não temos um acordo justo com a União Europeia agora sobre o comércio, eles tratam horrivelmente os Estados Unidos, e isso vai mudar. E se não mudar, eles vão ter que pagar um preço muito alto e eles sabem o que é esse preço”, ameaçou.

Trump lamentou a existência de barreiras a certos produtos agrícolas e aos automóveis, resultando numa alegada desvantagem de 151 mil milhões de dólares (130 mil milhões de euros).

Os dois líderes estiveram reunidos em Chequers Court, a residência de campo da primeira-ministra, a 65 quilómetros de Londres.

O Presidente dos EUA chegou ao Reino Unido na tarde de quinta-feira e foi homenageado pela primeira-ministra com um jantar no Palácio de Blenheim, onde participaram empresários e personalidades de vários sectores.

Hoje de manhã assistiu a exercícios militares por forças conjuntas dos dois países.

A visita termina com uma visita de Donald Trump e da mulher Melania ao palácio de Windsor, onde se vai encontrar com a rainha Isabel II.

Trump foi recebido com protestos em várias partes do país, sobretudo em Londres, onde milhares de pessoas desfilam nas ruas, juntamente com balão gigante de seis metros.

O balão representa Trump de fralda e um telemóvel na mão, que os promotores, um grupo de artistas, consideram mostrar a personalidade de “um bebé zangado com um ego frágil e mãos minúsculas”.

Outras Notícias