Alemanha defende manutenção de acordo nuclear com Irão

15 Jan 2018 / 14:51 H.

O Governo alemão defendeu hoje a manutenção do acordo nuclear com o Irão por considerar que continua a ser um “instrumento importante” para evitar o armamento do país, após o Presidente norte-americano ter pedido a sua renegociação.

Numa conferência de imprensa, o porta-voz do executivo alemão, Steffen Seibert, afirmou que Berlim tomou nota da mensagem divulgada na semana passada por Trump, que advertiu os seus aliados europeus que, se as “falhas” do pacto não forem corrigidas, ordenará a reintrodução de sanções ao Irão dentro de quatro meses.

Seibert assegurou que Berlim analisará com os seus parceiros e “com tranquilidade” a posição dos Estados Unidos, mas adiantou que o Governo de Angela Merkel continua a defender a aplicação do acordo “na sua totalidade”.

A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Maria Adebahr, recordou que os chefes da diplomacia da Alemanha, França, Reino Unido e Irão, bem como a Alta Representante da União Europeia para a Política Externa, Federica Mogherini, estiveram reunidos na quinta-feira em Bruxelas para analisar o acordo.

O acordo sobre o nuclear, assinado entre grandes potências -- incluindo os EUA -- e o Irão em 2015, “funciona, torna o mundo mais seguro e impede uma corrida ao armamento nuclear na região”, disse Mogherini após a reunião.

No encontro, os europeus falaram da sua preocupação em relação ao papel do Irão nas tensões regionais e da necessidade de se analisar o seu programa de mísseis balísticos, ao mesmo tempo que defenderam o acordo nuclear.

“Pedimos-lhes (aos iranianos) que respeitem o acordo nuclear (...) porque nós vamos lutar para que se mantenha”, disse Adebahr, adiantando que o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Sigmar Gabriel, telefonou depois do encontro ao homólogo norte-americano, Rex Tillerson, para o informar sobre o mesmo.

Outras Notícias