PTP culpa PS e PSD pela situação actual do subsídio de mobilidade

Quintino Costa foi o porta-voz da iniciativa política, no Funchal, do Partido Trabalhista Português

16 Jul 2018 / 12:52 H.

Quem é o culpado pelos madeirenses não terem o acesso ao subsídio de mobilidade imediato? Segundo o Partido Trabalhista Português na Madeira, a culpa é, precisamente, do PS e do PSD que, nos últimos dias, têm estado em “guerra” sobre de quem é responsabilidade pela situação que, a semana passada, teve um novo capítulo.

O porta-voz da iniciativa e dirigente regional do PTP, Quintino Costa (substituiu a deputada Raquel Coelho, retida em Lisboa por mais um voo cancelado), lembrou que foi aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa da Madeira que cada madeirenses pagaria somente 86 euros por viagem em território nacional. “Ora, isso foi aprovado por todos, todos queriam e desejam, e diziam todos na discussão que já tinham discutido com as direcções nacionais dos respectivos partidos, que isto era a sério, a valer, e que a posição cá ia ser a posição no continente, mas o que se viu é que o PS mentiu aqui”, atirou.

No entender dos ‘trabalhistas’ madeirenses, “o PS não foi capaz de assegurar junto da direcção nacional do partido que as alterações ao subsídio de mobilidade iriam ser aprovadas pelo partido que suporta o Governo. Uma coisa é um diploma aprovado pela oposição, outra força teria que o partido que suporta o Governo da República, que tem a responsabilidade de executar o pagamento do subsídio aprovasse”. E disse mais, lembrando que “há três meses o PS levou um avião de militantes ao congresso para reeleger António Costa e elegeram dezenas de dirigentes para as direcção nacional do Partido Socialista. De que serviu esse avião cheio de militantes que o subsídio de mobilidade suportou, se calhar em mais de 30 mil euros, e quando é preciso defender a Madeira, o PS vira as costas e o presidente do PS não comenta”.

Sem se deter, Quintino Costa aponta o dedo ao PSD lembrando que, quando Passos Coelho era primeiro-ministro foram os social-democratas madeirenses que negociaram “muito mal” o actual modelo, que “prejudicou os madeirenses”. E concluiu: “Se há viagens que custam hoje 400 euros e que os madeirenses têm de adiantar esse dinheiro a responsabilidade é do PSD e do PS, os únicos responsáveis pelo que está a acontecer com o subsídio de mobilidade.”

Outras Notícias