PSD diz que PS “se vendeu a Lisboa por umas migalhas”

12 Jul 2018 / 21:03 H.

“Na hora da verdade, o PS mostra aquilo que é. Um partido com gente sem coluna vertebral, sem capacidade de decisão e manietada pela vontade expressa do seu líder nacional”. É desta forma que o PSD-Madeira reage ao chumbo dos socialistas à proposta que altera o subsídio social de mobilidade aérea.

“O PSD/Madeira congratula-se com a aprovação, hoje, na Assembleia da República, da proposta que altera o subsídio social de mobilidade aérea, correspondendo às aspirações da população madeirense. Contudo, não pode deixar de repudiar a atitude do PS, e em particular dos deputados socialistas madeirenses, que votaram contra a Proposta de Lei, enviada pela Assembleia Legislativa da Madeira e aprovada por unanimidade neste Parlamento.”, refere em comunicado assinado por Rui Abreu.

“Trata-se de uma postura vergonhosa e lamentável por parte de um partido que na Região vota de uma forma, mas que em Lisboa se curva, pondo de lado os interesses da Madeira e dos Madeirenses”, afirma.

Aliás, acrescenta ainda que este é “um partido com gente que promete murros na mesa, mas que no fundo continua manietado por interesses que põem em causa a Autonomia da Madeira” e que, por isso, é um PS “que coloca os interesses pessoais dos seus actuais protagonistas não só acima do seu próprio partido como acima dos Madeirenses. Um PS que se vendeu a Lisboa por umas migalhas que apenas alimentam egos”.

“Felizmente, já todos se aperceberam desta farsa porque é nestes momentos que se descobre quem realmente está ao lado da Madeira e dos Madeirenses. E o PS/Madeira não é, de certeza”, conclui.

Outras Notícias